Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Zélia Mendonça regressa ao Museu Bienal
Abertura da 4.ª edição da Semana Municipal Para a Igualdade

Zélia Mendonça regressa ao Museu Bienal

Sequeira e Raul Silva de regresso para o ‘ataque’ aos búlgaros

Zélia Mendonça regressa ao Museu Bienal

Alto Minho

2021-09-23 às 06h00

Redacção Redacção

Exposição ‘Impávida e Essência’ marca o regresso da artista a Vila Nova de Cerveira. Inauguração acontece no próximo sábado, com a artista brasileira a apresentar também o livro ‘Zé Mendonça_senhora das mudanças’.

O Museu Bienal de Cerveira acolhe, a partir do próximo sábado, a exposição individual ‘Impávida Essência’ de Zélia Mendonça. A artista brasileira apresenta, ainda, o livro ‘Zélia Mendonça_senhora das mudanças’ que dá a conhecer ao público o seu percurso artístico e pessoal.
Foi aos 58 anos de idade, mais precisamente em 2015, que Zélia Mendonça, natural do estado de Minas Gerais, decidiu mudar de vida. De empresária de sucesso, dedicou-se, em exclusivo, à prática artística que vinha pautando os seus tempos livres. O Museu Bienal de Cerveira volta a ser testemunho do seu talento e acolhe, até dia 6 de Novembro, a exposição a individual ‘Impávida Essência’.
Com a curadoria do director artístico da FBAC, Cabral Pinto, a mostra é composta por 19 pinturas que abordam temáticas como o colonialismo e os indígenas, com enfoque nos ciclos económicos do Brasil Império e os seus desdobramentos na República Brasileira e contemporaneidade. “As minhas pinturas são a reflexão do que imagino ser os indígenas. Antes de mais nada, uma linguagem que pode parecer estereotipada, mas é, na verdade, a representação de uma artista que está em processo de descoberta e pede por justiça pela sobrevivência deles e a nossa também”, explica.
Pelas 17 horas, será também lançado o livro ‘Zélia Mendonça_senhora das mudanças’, que reúne textos de curadores e críticos de arte, bem como imagens representativas das obras que a autora criou ao longo da sua carreia artística. Segundo a coordenadora da publicação, Helena Mendes Pereira, “a busca incessante da mudança é, de resto, uma característica basilar desta mulher cuja história se faz na procura de novos espaços para morar, novas formas de se reinventar, tendo da mudança um processo de arrumação das ideias e da vida”. A publicação foi lançada na zet gallery no dia 18 de Setembro e, às 21 horas de sábado, será ainda apresentada no Espaço ‘Quadras Soltas’.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho