Correio do Minho

Braga, terça-feira

Westway Lab Festival dá palco à criação
Clube Náutico de Prado campeão nacional de Primeiras Pagaiadas

Westway Lab Festival dá palco à criação

“A Universidade do Minho gosta de alunos pró-activos e criativos”

Vale do Ave

2018-03-16 às 06h00

Teresa M. Costa

São várias as novidades da 5.ª edição do Westway Lab Festival que sobe ao palco, de 11 a 14 de Abril, trazendo o mundo da música a Guimarães

Novos palcos, mais áreas temáticas nas conferências PRO, city showcases, um projecto de criação e um país convidado são as novidades da 5.ª edição do Westway Lab Festival que faz de Guimarães o palco da criação musical, de 11 a 14 de Abril.
A maior e mais ambiciosa edição do Westway Lab Festival foi ontem apresentada no Café-Concerto do Centro Cultural Vila Flor, com a presença e actuação dos Lobos de Barro, um dos projectos de criação deste festival.
O director d A Oficina, entidade organizadora, João Pedro Vaz, destaca a aposta em trazer ao Westway Lab Festival projectos de qualidade excepcional em cada uma das linguagens que proporcionak uma festa para a cidade e, por intermédio das pessoas que convoca, para o mundo.

Mesmo na maior edição de sempre - que tem programados 28 concertos - o festival mantém a matriz da primeira em torno de três eixos: residências, conferências PRO e concertos, descreve o programador d A Oficina, Ruo Torrinha.
Mantém-se a vertente da criação e Guimarães como palco, trazendo o mundo à cidade que quer continua a capitalizar a cultura, realça Ruo Torrinha, enaltecendo as parcerias que já se estabeleceram em torno do Westway Lab Festival e que fazem com que seja cada vez mais um festival da cidade, mobilizando parceiros locais, além dos internacionais.
A Áustria estreia-se como país convidado e será representada por cinco bandas que vão mostrar-se em diferentes espaços do Centro Cultural Vila Flor.

O Wesway Lab Festival mantém-se na Rede ETEP - European Talent Exchange Program - com o programador a realçar que o evento é impulsionador da exportações de artistas nacionais.
O festival dá, também, a conhecer propostas internacionais com grupos de uma dezena de nacionalidades.
As residências artísticas mantêm-se no Centro de Criação de Candoso onde decorrem de 2 a 10 de Abril para subirem, depois, ao palco do Café-Concerto do Vila Flor em concertos com entrada gratuita.
O objectivo é estimular, na região, o aparecimento de projectos distintos que possam ser exportados e valorizados, aponta Rui Torrinha.
A iniciativa mantém os vários palcos espalhados pela cidade,, fruto das várias parcerias estabelecidas, assumindo-se como festival de roteiro. Queremos abraçar a cidade cada vez mais afirma o programador, assumindo que o objectivo é que este roteiro possa crescer e outros espaços se possam juntar.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.