Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Vítor Oliveira fala em atletas “excessivamente condicionados”
Obras emblemáticas marcam semana em Ponte de Lima

Vítor Oliveira fala em atletas “excessivamente condicionados”

Inaugurado Museu Virtual da Memória Marítima

Vítor Oliveira fala em atletas “excessivamente condicionados”

Desporto

2020-06-03 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

Treinador do Gil Vicente lamentou o curto período de tempo que as equipas tiveram para se poderem preparar, depois da paragem dos campeonatos motivada pela Covid-19.

O regresso está prestes a acontecer [I Liga recomeça hoje], os indíces físicos das equipas não serão, certamente os melhores, e o treinador do Gil Vicente, equipa que dá o tiro de partida para a retoma do campeonato juntamente com o Portimonense, lamentou o pouco tempo de preparação que as equipas tiveram, depois da paragem das provas, motivada pela Covid-19.
Vítor Oliveira reconheceu ontem, na conferência de imprensa de antevisão da partida desta tarde [19 horas em Portimão] que os futebolistas do Gil Vicente estarão “excessivamente condicionados”, lamentando a falta de “passos maiores” na preparação.
“Os jogadores querem e gostam de jogar, mas é preciso criar condições para que apenas se preocupem em jogar bem, ganhar e defender as cores do seu clube. Com as regras bem definidas, que ainda não estão, é mais fácil para todos. Não diria que é um futebol anormal, mas é diferente daquilo que estamos habituados”, frisou o técnico, acrescentando que “trabalhámos afincadamente para que os jogadores se apresentem em condições satisfatórias, mas é uma situação completamente nova. Ninguém pode fazer julgamentos precisos sobre como as equipas irão aparecer e qual será a qualidade dos jogos e os resultados. É uma incógnita grande e até nós estamos curiosos”, contou.
Defendendo que os 18 clubes “arrancam em igualdade de circunstâncias”, Vítor Oliveira mostrou-se satisfeito com o “empenhamento” do plantel gilista em “trazer verdade desportiva e levar a prova até ao fim”, apesar da preocupação com “dúvidas permanentes dos jogadores, que provocaram desconcentração e afectaram a qualidade exigida”. “Não fizemos uma coisa extremamente importante: aqueles particulares que antecedem o início do campeonato e dão para aquilatar melhor o potencial, valorização e crescimento da equipa. A parte física será preocupante e teremos de ter muita atenção às lesões. Mais grave que isso tudo, não ter público nos estádios é quase matar o futebol”, criticou o técnico.
Sem “grandes alterações” em perspectiva, o treinador só pensa em “voltar rapidamente aos níveis de confiança, físicos e psicológicos” verificados em meados de março, de forma a culminar “com tranquilidade” o regresso administrativo ao principal escalão, a partir do Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’.
“Não vamos dizer que a manutenção está muito difícil, mas temos vários exemplos de equipas que estavam praticamente garantidas e não conseguiram os objectivos. Penso que isso não vai acontecer aqui, mas é muito importante não facilitar. Damos as coisas por consumadas e depois andamos com as calças na mão sem necessidade”, alertou.
O Gil Vicente viajou para o Algarve sem poder contar com o extremo brasileiro Lourency, suspenso depois de ter cumprido uma série de cinco cartões amarelos no empate caseiro frente ao Santa Clara (1-1), em 8 de Março, enquanto o defesa Fernando Fonseca sofreu uma lesão da sindemose, que tem implicado um longo processo de recuperação pós-operatória.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho