Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Viana: Monitorização de Correntes Marítimas de Superfície no Cabedelo
Quatro bibliotecas de praia disponíveis a partir de amanhã

Viana: Monitorização de Correntes Marítimas de Superfície no Cabedelo

Liga dos Combatentes de Ribeirão inaugura novo painel artístico

Alto Minho

2018-06-20 às 19h45

Redacção

Os derivadores flutuantes que foram utilizados neste ensaio permitiram a aquisição de novos dados sobre as correntes oceânicas na zona de rebentação, incluindo detalhes das correntes de deriva litoral no setor a sul do rio Lima e sobre a estrutura dos agueiros.

A Câmara Municipal de Viana do Castelo e o Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) promoveram, na Praia do Cabedelo, uma iniciativa de sensibilização para as correntes fortes existentes nas praias.

Numa ação de segurança, o Cabedelo recebeu a primeira demonstração nacional de sobrevivência em agueiros, numa iniciativa promovida no âmbito do projeto MELOA - Multi-purpose/Multi-sensor Extra Light Oceanography Apparatus, que corresponde a um derivador flutuante que monitoriza as correntes marítimas de superfície.

Nesta ação, o ISN estabeleceu ainda contato com os nadadores salvadores, surfistas locais e o Viana Beach Center.
Foram, assim, levados a cabo ensaios científicos com o objetivo de contribuir para o estudo da circulação de superfície, mas também contribuir para o contínuo desenvolvimento do derivador flutuante, garantindo-o de baixo custo, fácil de manusear e capaz de ser usado em diferentes ambientes marítimos, desde o mar profundo até zonas mais terrestres, incluindo áreas costeiras, ribeiras e zonas de desportos aquáticos.

De referir que os derivadores flutuantes que foram utilizados neste ensaio permitiram a aquisição de novos dados sobre as correntes oceânicas na zona de rebentação, incluindo detalhes das correntes de deriva litoral no setor a sul do rio Lima e sobre a estrutura dos agueiros.

No âmbito do desenvolvimento estratégico e posicionamento de Viana do Castelo como um Campus de Ciência e de Conhecimento, o município de Viana do Castelo acolheu esta ação promovida pelo Instituto Hidrográfico, em colaboração com o LSTS (Laboratório de Sistemas e Tecnologia Subaquática) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, enquadrada no projeto MELOA, e que conta com a participação do Centro de Sistemas de Informação e Computação Gráfica (CSIG) do INESC TEC, entre outros parceiros, incluindo internacionais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.