Correio do Minho

Braga, terça-feira

Viana do Castelo: Programa Valorizar o Património abrange cinco novos espaços
Aluno premiado por manga que ajuda doentes com cancro da mama

Viana do Castelo: Programa Valorizar o Património abrange cinco novos espaços

Sede da Cruz Vermelha de Braga está literalmente a cair aos bocados

Alto Minho

2017-07-16 às 20h26

Redacção

A Câmara Municipal de Viana do Castelo assinou hoje os protocolos de cooperação com diversas entidades para avançar com a reabilitação de algumas estruturas religiosas, no âmbito de uma nova fase do Programa Valorizar o Património. Assim, vão agora arrancar as segundas fases da Igreja de S. Pedro de Serreleis e de Castelo do Neiva, a primeira fase do Templo Monumento de Santa Luzia, a Capela de Nossa Senhora d’Agonia e a Igreja de Perre.

A Câmara Municipal de Viana do Castelo assinou hoje os protocolos de cooperação com diversas entidades para avançar com a reabilitação de algumas estruturas religiosas, no âmbito de uma nova fase do Programa Valorizar o Património. Assim, vão agora arrancar as segundas fases da Igreja de S. Pedro de Serreleis e de Castelo do Neiva, a primeira fase do Templo Monumento de Santa Luzia, a Capela de Nossa Senhora d’Agonia e a Igreja de Perre.
O investimento, a rondar os 155 mil euros, diz respeito a intervenções que marcam uma nova etapa do Programa que, numa primeira fase, avaliada em 300 mil euros, privilegiou alguns edifícios que apresentavam algumas condições de risco ou desadequadas,designadamente risco de colapso físico, acesso e circuito condicionados, obras de arte em avançado estado de deterioração, ausência de conteúdos e sinalética.
De sublinhar que o programa abrangente de valorização de Património construído tem por objetivo qualificar espaços de valor arquitetónico, histórico e artístico relevante para o território; dinamizar o potencial cultural destes espaços enquanto locais privilegiados de fruição cultural; e promover e valorizar os espaços referidos enquanto locais de visitação e atratividade turística.

Este programa tem em conta que o Património Cultural de um território constitui a mais importante marca identitária do mesmo e que a conservação, recuperação, valorização ou divulgação deste torna-se um imperativo e também um dever para com os vindouros na transmissão de uma herança verdadeiramente fundacional, para além de desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento policêntrico dos territórios e na coesão territorial.

De lembrar que o Património Cultural Religioso e Monástico assume particular relevância no concelho pela antiguidade, pela excecionalidade da arquitetura e da arte integrada, pelo testemunho de outras épocas e de outras mentalidades e porque se configuram como locais de enorme potencial para o conhecimento da ciência e da cultura.

*** Nota elaborada pelo gabinete de comunicação da C. M. de Viana do Castelo ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.