Correio do Minho

Braga, sábado

Viana do Castelo: 120 alunos trabalharam o sal nas comemorações das Jornadas Europeias do Património em Viana do Castelo
Igreja dos Terceiros guarda colecção de ‘santos de vestir’

Viana do Castelo: 120 alunos trabalharam o sal nas comemorações das Jornadas Europeias do Património em Viana do Castelo

Biografia de António Variações apresenta um ‘retrato do país’

Alto Minho

2017-09-26 às 17h09

Redacção

Cerca de 120 alunos da Escola de Ensino Básico da Avenida, Escola Secundária de Santa Maria Maior e Escola Profissional AWICH’ON participaram nas oficinas pedagógicas integradas nas Jornadas Europeias do Património, este ano sob o tema “Roteiro pelos Museus - Mostra de profissões/atividades costeiras”.

Cerca de 120 alunos da Escola de Ensino Básico da Avenida, Escola Secundária de Santa Maria Maior e Escola Profissional AWICH’ON participaram nas oficinas pedagógicas integradas nas Jornadas Europeias do Património, este ano sob o tema “Roteiro pelos Museus - Mostra de profissões/atividades costeiras”.

A iniciativa integrou, assim, oficinas pedagógicas denominadas “ “Pias Salineiras, Artes de Pesca e Tapetes de Sal e Encascar” onde os alunos vivenciaram a experiência da obtenção do sal, da utilização/manutenção dos utensílios para a pesca, assim como o conhecimento do processo de tingimento do fio de algodão. Estas oficinas contaram com a presença de Manuel Gonçalo Araújo  que,  com o seu conhecimento e a partilha das suas histórias/experiência de vida, contribuiu para cativar a atenção dos visitantes, principalmente do público escolar.
Os alunos participaram ainda na execução de um tapete de sal, sendo que os museus estiveram também abertos com o tema da cultura costeira, envolvendo o património cultural e natural entre a comunidade, as suas vivências e as suas histórias.

As Jornadas Europeias do Património 2017, este ano subordinadas ao tema Património e Natureza, pretendiam chamar a atenção para a importância da relação entre as pessoas, as comunidades, os lugares e a sua História, mostrando como o património e a natureza se cruzam nas suas diferentes expressões - mais urbanas ou mais rurais - e para a necessidade de preservar e valorizar esta relação, fundamental para a qualidade da vida, para a qualificação do território e para o reforço de identidades.

*** Nota da C.M. de Viana do Castelo ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.