Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Utentes da EN 101 criaram associação
Agere sensibiliza para preservação da água

Utentes da EN 101 criaram associação

Ministra da Cultura inaugura primeira exposição de 2019 no Forum Arte Braga

Nacional

2018-12-15 às 06h00

Redacção

Utentes da Estrada Nacional 101 acabam de constituir uma associação que congrega um conjunto de empresários, cidadãos e organismos públicos e privados da área de abrangência desta artéria.

Acaba de ser formalmente constituída a Associação dos Utentes da EN101 (AU EN101), que congrega um conjunto de empresários, cidadãos e organismos públicos e privados da área de abrangência desta artéria.
Este novo organismo assume como missão “apresentar contributos e reivindicações que tendam a valorizar intervenções urgentes de (re)qualificação e valorização de uma via estratégica para a mobilidade de cidadãos, bens e produtos neste vasto território servido pela EN 101, de Felgueiras, passando por Guimarães, Braga, Vila Verde, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Monção e Melgaço”.
A AU EN101 foi oficialmente criada na quinta-feira, por via do registo de escritura pública que decorreu em Braga.

“O adiamento constante de uma intervenção urgente de requalificação da EN 101, em toda a sua extensão, de forma a respeitar o binómio mobilidade-segurança, a que acresce a necessidade de uma boa interacção entre utilizadores da via (veículos e pessoas) no respeito com as populações que são servidas pela mesma, impõe que os cidadãos e entidades públicas e privadas tomem posição e criem um grupo alargado e unido que ajude as entidades públicas responsáveis pela sua manutenção a agir e a tomar as melhores opções no mais curto espaço de tempo possível”, dão conta os sócios-fundadores.

Apesar de registar “com grande agrado e satisfação o anúncio da requalificação da EN 101, projecto que tem sido anunciado e adiado por diversas vezes, a AU EN101 entende que deve ter uma participação activa no processo, com o alargamento da discussão por forma a melhorar e a dar maior consistência ao projecto, de forma a que a referida requalificação corresponda verdadeiramente às necessidades e anseios das populações por ela servidas”. Entre as diversas pretensões está, “desde logo, a necessidade de contemplar a construção da variante a Vila Verde e a urgência de reflectir sobre a criação de passeios, via cicláveis e pedonais, pontes pedonais e cicláveis, intersecções, e sinalização e segurança”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.