Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
UMinho recebe projeto “Armário 65”
Paulinho apto no relvado

UMinho recebe projeto “Armário 65”

Estrada de Travassós a Godinhaços em obras

UMinho recebe projeto “Armário 65”

Braga

2019-12-05 às 18h20

Redacção Redacção

Jogos de mesa modernos como Caravelas, NMBR9 e Millions, mas também clássicos como Risk pretendem ser “ferramentas indiscutíveis” para desenvolver competências na aprendizagem da matemática e fora do mundo online. Ao longo do ano letivo prevê-se realizar atividades para o público em geral e para a comunidade do ensino superior, mas também para alunos visitantes do ensino básico e secundário da região, onde o “Armário 65” pretende também ser alargado.

A Escola de Ciências da Universidade do Minho vai ter a partir desta sexta-feira um polo do “Armário 65”, que usa jogos de tabuleiro para promover o conhecimento matemático. A inauguração decorre às 10h00, na sala de exposição interativa do Centro de Matemática (CMAT), no campus de Gualtar, em Braga. A sessão conta com a diretora do CMAT, Lisa Santos, a vice-presidente do Município de Braga, Sameiro Araújo, e a presidente da associação juvenil Cidade Curiosa, Cecília Gonçalves. A entrada é livre.
 
Jogos de mesa modernos como Caravelas, NMBR9 e Millions, mas também clássicos como Risk pretendem ser “ferramentas indiscutíveis” para desenvolver competências na aprendizagem da matemática e fora do mundo online. Ao longo do ano letivo prevê-se realizar atividades para o público em geral e para a comunidade do ensino superior, mas também para alunos visitantes do ensino básico e secundário da região, onde o “Armário 65” pretende também ser alargado. O projeto é promovido pela Cidade Curiosa, no âmbito do Orçamento Participativo do município, com a parceria dos núcleos CMAT Junior Group e OutLab.
 
“Os jogos de tabuleiro funcionam como sistemas de aprendizagem baseados em regras, criando mundos em que os jogadores participam ativamente, usando pensamento estratégico para fazer escolhas, resolver problemas complexos, buscar conhecimento do conteúdo, receber feedback constante ou considerar o ponto de vista dos outros, tendo, sobre o jogador, o poder de um exercitador universal”, define a professora Cláudia Mendes Araújo, do Departamento de Matemática e Aplicações da UMinho. “Falar em jogos em geral é falar em pensar, divertir-se e relacionar-se com os outros. O investigador Martin Gardner dizia que a Matemática é uma espécie de jogo em que o adversário é o universo”, acrescenta.
 
O CMAT nasceu em 1991 na UMinho e tem um polo na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Conta com mais de 60 investigadores doutorados, além de estudantes e de colaboradores de outras instituições. Procura responder a novos desafios com impacto social em áreas como ambiente, computação, saúde, engenharia e física, através de projetos de investigação, de ensino e de interação na comunidade.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho