Correio do Minho

Braga, terça-feira

Uma experiência enriquecedora
Vaudeville Rendez-Vous promove oficinas de circo contemporâneo

Uma experiência enriquecedora

Piquenique levou centenas ao Santuário de Nossa Senhora do Alívio

Braga

2011-08-09 às 06h00

Patrícia Sousa

Cada dia na colónia de férias de Apúlia está programado com inúmeras actividades. Há tempo para tudo e os mais novos cumprem a rigor todas as tarefas diárias.

As horas de acordar e de deitar são sempre complicadas. Mas todos sabem que há regras a cumprir. Só assim é possível passar cinco dias “em paz” junto ao mar na companhia dos amigos. E todos, sem excepção, trazem na bagagem, no regresso a S. Victor, muitos amigos, algumas histórias e uma mão cheia de “bons motivos” para regressar no próximo ano.
Mariana Vasconcelos é a directora da colónia de férias, promovida pela Junta de Freguesia de S. Victor. O ‘Correio do Mi- nho’ encontrou-a com os monitores e um grupo de crianças entre os sete e os 12 anos.

“São dias inesquecíveis que se tornam curtos, tal a intensidade com que se vivem”, assegurou a jovem responsável. No final de cada turno, todos os participantes são unânimes: adoram lá estar e, se pudessem, continuariam por mais tempo.
Em paralelo com a colónia de férias, a autarquia desenvolveu, durante o mês de Julho, um acampamento em Santo Tirso, no qual participaram 50 jovens, nos diversos turnos.

“Esta é uma experiência enriquecedora a nível pessoal e de crescimento enquanto pessoas”, confessou a jovem. Como é da freguesia e sente a necessidade de ajudar, Mariana passou do papel de utente a monitora e hoje é directora da colónia. “Nunca vou esquecer a experiência que vivi. Quando eu era pequena estive cá na colónia, e proporcionaram-me dias excelentes, por isso, nunca mais vou esquecer”, garantiu.

Em relação à experiência que vive agora como directora da colónia, Mariana admitiu que o grupo dos mais pequenos “é mais fácil”. Apesar das saudades dos pais, sobretudo quando che- ga a noite ou quando falam ao telemóvel, os mais novos “portam-se muito bem”.

“Uma segunda casa para muitos”

O objectivo desta iniciativa é, de acordo com a jovem, “fomentar o espírito de grupo e de interacção entre as crianças e jovens, que apesar de serem da mesma freguesia acabam por andar em escolas diferentes e nem se conhecerem”.
São cinco dias para cada turno. E todos aproveitam ao máximo cada dia que passa. Todos os dias às 8.30 horas, os pequenos têm que se pôr a pé. E inúmeras actividades os esperam. Brincadeiras não faltam.

Mas quando se portam mal...aí em vez de brincadeiras têm os castigos. Alguns são mais traquinas do que outros. Há sempre aqueles que fazem partidas todas as noites.
Por isso, o centro da Segurança Social na Apúlia é como que “uma segunda casa para muitos”.
E cada vez que se inicia um turno a mensagem passada é que os jovens sejam “embaixadores” de S. Victor. “E eles têm cumprido muito bem o papel”.

Muitos monitores já foram utentes

A monitora Carla Marques, também já foi utente da colónia de férias de S. Victor. “Fui utente durante cinco anos e fiz muitos amigos, por isso, gosto muito disto”, salientou.
Hoje como monitora faz o que lhe fizeram a ela enquanto utente: “faço tudo para que se sintam bem e que partilhem tudo”.
Tomar conta de tantos adolescentes e crianças não é tarefa fácil e a iniciativa exige sempre uma grande logística em termos de recursos humanos. Durante o período que decorre, os participantes na colónia de férias contam com a companhia da directora, do adjunto e, ainda, de cinco monitores.

S. Victor já levou mais de duas mil crianças à praia

Desde 2002, que a autarquia de S. Victor organiza a colónia de férias, iniciativa que decorre entre os meses de Julho e de Agosto, estando inserida no evento ‘Respirar Feliz em S. Victor’. Mais de duas mil crianças e jovens já beneficiaram desta iniciativa e desfrutaram de uns dias de praia na colónia de férias da Segurança Social de Apúlia, em Esposende.

Ao longo de 20 dias, divididas por quatro turnos, 200 crianças da freguesia, dos bairros sociais das Enguardas, Santa Tecla, Bairro da Alegria, Bairro das Sete Fontes, Bairro Eng.º Duarte Pacheco, Bairro do Sol e de outras áreas daquela autarquia, convivem de forma salutar e pedagógica conhecendo-se entre si.

Durante o período que cada grupo permanece na colónia, as crianças e jovens, para além da praia, desenvolvem outras actividades bem do seu agrado: visitas ao meio, ‘atelier’, teatro, jogos e ‘lições’ de diversas danças, não se dispensando as habituais ‘peladinhas de futebol’, jogos de voleibol entre muitas outras actividades.

Para que tudo corra pelo melhor, as crianças e jovens são acompanhados por uma equipa de monitores recrutados no âmbito do programa de voluntariado do Instituto Português da Juventude (IPJ), que anualmente aprecia e tem aprovado a continuidade deste projecto da responsabilidade da Junta de Freguesia de S. Victor.

O projecto começou com algumas dezenas de crianças e jovens e hoje já são 200. O programa de colónias de férias tem sido, portanto, “um sucesso”, tratando-se de um investimento na área de apoio à juventude.

Uns experimentam pela primeira vez, outros já são repetentes. Mas todos adoram a experiência e anseiam já pela aventura do próximo ano. Na hora da despedida é sempre assim. O último turno da colónia de férias na Apúlia, em Esposende, promovida pela Junta de Freguesia de S. Victor, ainda não terminou e as saudades já são muitas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.