Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Uma cidade, transformada em sala de espectáculos
Pedro Oliveira e Maria de Jesus vencem St.ª Marta de Portuzêlo

Uma cidade, transformada em sala de espectáculos

Gonçalo Machado reforça equipa B do SC Braga

 Uma cidade, transformada  em sala de espectáculos

Braga

2022-06-29 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

‘ARES DE VERÃO’ é o programa cultural que vai animar os meses de Julho e Agosto, em Braga. Há seis eventos em destaque e centenas de espectáculos numa cidade que será sala e palco de cultura.

Citação

É uma cidade que se transforma em verdadeira sala de espectáculos ao ar livre, onde as ruas são palcos de cultura. Verão é sinónimo de dias mais longos e noites amenas, que convidam ao convívio, a uma saída em família, a um passeio. Em Braga será também sinónimo de concertos, teatro, música, novo circo, livros, folclore, cinema e dança, que vão invadir as praças, jardins e espaços públicos durante os próximos meses de Julho e Agosto, numa programação intensa. São os ‘Ares de Verão’, um programa cultural que vai além dos espectáculos e se assume como um conceito de vida, numa atitude positiva para envolver a comunidade nas inúmeras actividades que pretendem estimular o bem-estar e felicidade dos bracarenses e visitantes.
Ao longo destes dois meses, a programação do Município de Braga inclui seis eventos em destaque: Feira do Livro (1 a 17 de Julho); Mimarte (1 a 9 de Julho); Braga Blues (16 e 17 de Julho); Festival Internacional de Folclore (29 a 31 de Julho); Festival Limonada (15 a 21 de Agostos) e Festival Noroeste (25 a 28 de Agosto).
“Os ares de Braga são sempre ares de cultura, em que há muita coisa a acontecer, muitos convites para a população e para os visitantes. Quando pensaríamos que, depois destes meses intensos com a Braga Romana, celebração do 10 de Junho e Festas de São João, iríamos ter um período de alguma tranquilidade, como sempre acontece em Braga vamos ter um período muito intenso com uma programação cheia de actividades marcadamente culturais. Estamos a falar de iniciativas de cariz cultural que, ao longo das próximas semanas, vão trazer a Braga dezenas de eventos, concertos, espectáculos, peças de teatro, entre outras, numa programação que será coroada com a realização da Noite Branca, que está de regresso este ano”, sublinhou Ricardo Rio, na apresentação, que teve lugar no Parque da Ponte.
Segundo o autarca, “este programa junta algumas iniciativas já tradicionais do calendário cultural da cidade, mas traz também novidades sob a capa ‘Ares de Verão’, ares que convidam a vir à rua e a encontrar-se em duas grandes praças da cidade, nomeadamente na Praça Municipal e na Avenida Central”.
Destacando o facto de ser “uma programação cultural muito diversificada, para todos os públicos e famílias” e “de acesso gratuito em cada um dos espaços”, o edil realçou a “cadência contínua” de espectáculos “para preencher as tardes e noites de Verão da nossa cidade”.
Programação cultural representa um investimento do município “de 200 mil euros”, determinante neste caminho que Braga está a percorrer para a candidatura de Capital Europeia da Cultura em 2027: “a nossa capitalidade cultural não se faz apenas com o título e com grandes eventos de massas, faz-se também com este esforço que temos desenvolvido de dar espaço à criatividade dos bracarenses, à visibilidade das diferentes formas de expressão artística dos protagonistas locais, por forma a serem capazes de fomentar novos gostos e de os pôr em contacto com o público”.
Exemplo disso mesmo é o Festival Limonada, que é reflexo “deste pedido que nos vinha chegando dos próprios grupos bracarenses terem espaço na programação cultural da cidade, daqueles que não fazem parte dos protocolos de colaboração cultural que temos e que alimentam o programa de descentralização cultural”. “Estamos a falar de grupos musicais, de diferentes estilos que vão ter essa oportunidade de estar em contacto com os bracarenses”, frisou, realçando ainda o impacto na hoteleira e comércio de dois meses de intensa actividade.
“Todas estas iniciativas numa cidade palco acabam por criar um branding e uma capacidade de atracção que é contínua. As diferentes manifestações culturais manifestam-se na nossa atractividade turística”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho