Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Turismo interno é “pequeno balão de oxigénio” para o sector
Viana do Castelo apoia criação de Centro de Interpretação de S. Bartolomeu dos Mártires

Turismo interno é “pequeno balão de oxigénio” para o sector

Está a nascer uma charca na EB 2,3 de Nogueira que vai acolher várias espécies

Turismo interno é “pequeno balão de oxigénio” para o sector

Braga

2021-04-10 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal espera que a região possa receber um pouco mais de visitantes nacionais nos próximos meses. Os turistas estrangeiros ainda não virão este ano.

O mercado interno é a única esperança para alguma retoma do sector do turismo na região, não contando a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (ERTPN) com fluxos significativos de visitantes estrangeiros num Verão que ainda se apresenta com grandes incertezas no que respeita ao controlo da pandemia. Ontem, no ‘4.Fórum de Turismo Visit Braga’, o presidente da ERTPN avisou que os turistas nacionais serão “o pequeno balão de oxigénio” com que o sector contará num ano que não será muito diferente de 2020.
“Dentro da desgraça, o Porto e Norte foi a região com o maior número de hóspedes”, afirmou Luís Pedro Martins, reconhecendo que o mercado interno é o único com que o sector pode contar para aspirar apenas a “ter números melhores do que em 2020”.
O presidente da ERTPN chegou a “imaginar uma Páscoa com alguma abertura, o que não se verificou”.
Perspectivando já a resposta dos agentes turísticos ao período pós-pandemia, Luís Pedro Martins declarou que é preciso “resistir à tentação” de não continuar a procurar a diferenciação de clientes através dos preços.
“O caminho tem de ser igual ao de antes da pandemia”, sustentou este responsável, propondo que, com a normalização da situação sanitária e da circulação de pessoas, a indústria turística do Norte prossiga o trabalho interrompido de captação de turistas de mercados emissores de “grande distância”, com poder de compra elevado e que, por isso, permaneçam mais tempo na região.
“O país tem de perceber que é através do sector do turismo que se conseguem coisas que outros sectores não conseguem”, defendeu o presidente da ERTPN, exemplificando com a criação de emprego em territórios de baixa densidade e o regresso de emigrantes com capacidade de investimento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho