Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Tribunal decreta fecho da Ricon... trabalhadores estão angustiados
Guimarães: Alterações ao Programa Green Week 2018

Tribunal decreta fecho da Ricon... trabalhadores estão angustiados

Festival Música d'Ponte em Braga

Economia

2018-02-01 às 06h00

Miguel Viana

O Tribunal de Comércio de Vila Nova de Famalicão decretou ontem o encerramento da Ricon Industrial SA, depois de a assembleia de credores ter aprovado o relatório do administrador da insolvência, que apontava para o fecho daquela empresa.

O Tribunal de Comércio de Vila Nova de Famalicão decretou ontem o encerramento da Ricon Industrial SA, depois de a assembleia de credores ter aprovado o relatório do administrador da insolvência, que apontava para o fecho daquela empresa.
O grupo Ricon, constituído por oito empresas, apresentou-se à insolvência em finais de 2017, tendo sido já declarado o encerramento e liquidação dos activos da holding do grupo numa assembleia de credores realizada na terça-feira.

Na segunda-feira, os perto de 600 trabalhadores da Ricon receberam as respectivas cartas de despedimento, ainda com o salário do mês de Janeiro e metade do subsídio de Natal por pagar.
Na assembleia que decorreu na manhã de ontem foi anunciado que os salários de Janeiro seriam processos e pagos nos próximos dias.
A Câmara de Famalicão tem já a funcionar uma linha de apoio destinada aos trabalhadores desta têxtil que agora caíram no desemprego. Esses apoios passam, em primeiro lugar, por ajudas imediatas ao nível da alimentação, educação ou nas despesas com a habitação.

Os famalicenses que necessitem de ajuda devem dirigir-se ao departamento de Acção Social da câmara municipal para obter informações sobre os apoios concretos existentes nestes casos.
Por outro lado, a autarquia está a trabalhar em sintonia com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, coordenando os meios para encaminhar os trabalhadores para outras oportunidades de emprego. Sabendo que Famalicão é um concelho com uma forte presença industrial, onde o sector têxtil está em crescimento e onde existe escassez de mão-de-obra, é preciso saber dirigir estes trabalhadores para outras empresas. Entretanto, através do programa Qualifica os trabalhadores são incentivados a apostar na formação profissional ou adquirir novas competências para se inserir noutros sectores profissionais ou relançar a sua carreira profissional.

Ontem à tarde centenas de trabalhadores mantinham-se no interior da empresa. Muitos deles, com lágrimas nos olhos, abraçavam os colegas pela última vez e recusaram falar à reportagem do Correio do Minho. Carla Ramos, da secção de Produção, foi a única que disponibilizou para falar, dizendo que daqui para a frente vai ser muito complicado, porque trabalhamos aqui há muitos anos. Já trabalho aqui vai fazer 24 anos, custa-me muito, mas vou ter que aceitar. Estou muito triste porque acho que não fizeram nada para que isto melhorasse. Em relação ao futuro, há que ter esperança em dias melhores.Vamos ficar no fundo de desemprego (os documentos são entregues amanhã), mas acredito que não vai ser por muito tempo. Andam muito à procura de profissionais de confecção, mas vamos ver, disse a trabalhadora. Carla Ramos disse ainda que a empresa tinha condições para continuar a laborar. Quando os trabalhadores decidiram parar a produção, estávamos com a empresa cheia de trabalho e a funcionar normal- mente. Havia encomendas previstas para serem entregues em Fevereiro e Março, garantiu a funcionária.

Contudo, existiam já alguns indícios de que o encerramento da empresa pudesse acontecer. Nós já desconfiávamos que alguma coisa não estava bem. De há alguns anos para cá que começamos a ver que havia uma redução de encomendas do nosso maior cliente, que é a Gant, e este último ano começamos a trabalhar a feitio, coisa que nunca se fez, porque trabalhávamos sempre para cliente. Em concreto, nunca nos disseram nada, revelou Carla Ramos, acrescentando que tinha esperança na continuação da empresa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.