Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Tozé herói, quase se tornou vilão
Rio apoia agenda para partilha de competências

Tozé herói, quase se tornou vilão

Bombeiros Voluntários podem ficar com o quartel dos Sapadores

Desporto

2019-01-11 às 23h32

Carlos Costinha Sousa

VitóriaA SC venceu o dérbi local frente ao Moreirense, com um golo de penálti apontado por Tozé, que foi o herói aos 47 minutos, mas aos 70 podia ter-se tornado vilão ao ser expulso da partida. No entanto, os vitorianos conseguiram segurar a vantagem.

O Vitória Sport Clube levou a melhor no dérbi minhoto frente ao Moreirense Futebol Clube, conquistando uma vitória pela margem mínima (1-0), com golo de Tozé de grande penalidade.
O equilíbrio foi a nota dominante ao longo da primeira parte, mas com ligeiro ascendente para a equipa de Moreira de Cónegos, que conseguiu criar mais ocasiões de perigo perto da baliza adversária. No entanto, o primeiro remate perigoso da partida pertenceu ao Vitória SC, com Tozé a rematar de longe e a obrigar Jhonatan a grande defesa, aos 11 minutos de jogo.

A resposta dos cónegos chegou concretamente em dois minutos consecutivos: aos 34, Arsénio, na cobrança de um canto, enviou a bola directamente à trave; aos 35, Heriberto respondeu a um cruzamento, mas já não teve grande ângulo para rematar para a baliza. No entanto, até ao fim do primeiro tempo os golos não apareceram e pedia-se mais eficácia e bom futebol para o segundo tempo.
E a segunda parte praticamente começou com o primeiro golo da partida. Aos 47 minutos, Tozé foi certeiro e eficaz na marcação de um penálti que sancionou mão de Fábio Pacheco no interior da área dos cónegos. E os mais de 15 mil adeptos nas bancadas festejaram o golo que teve também o condão de tranquilizar os vitorianos que nos minutos seguintes tomaram conta do domínio da partida.

O Moreirense começou a procurar responder ao golo sofrido, com Heriberto a rematar para defesa fácil de Douglas.
Aos 70 minutos, contrariedade para os vitorianos, depois de Tozé ter sido expulso com cartão vermelho directo após entrada muito perigosa sobre Pedro Nuno, deixando a equipa com menos uma unidade em campo.
Mas o Moreirense não conseguiu não conseguiu aproveitar a superioridade numérica e, apesar de ter tentado pressionar para procurar chegar, pelo menos ao empate, não conseguiu voltar a criar uma real oportunidade de conseguir marcar golo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.