Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Tinham o pássaro na mão e ele fugiu...
Colaboradores das Piscinas receberam formação sobre Plano de Contigência

Tinham o pássaro na mão e ele fugiu...

Programação da Feira do Livro com passatempos e conversas com autores nacionais e estrangeiros

Tinham o pássaro na mão e ele fugiu...

Desporto

2020-02-24 às 12h44

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Duelo intenso na luta pela manutenção no Estádio da Devesa. O Porto d’Ave realizou uma excelente primeira parte e saiu para o intervalo a vencer por 2-0. Reacção enérgica dos barcelenses no segundo tempo premiada com o empate ao cair do pano.

Santa Maria e Porto d’Ave ofereceram um bom espectáculo, ontem à tarde, no Estádio da Devesa, que terminou com um empate a duas bolas, o que, pesando todas as incidências da partida, acaba por se aceitar, tendo em conta que os visitantes dominaram por completo a primeira parte, período no qual realizaram, muito provavelmente, os melhores 45 minutos da época, e o Santa Maria surgiu transfigurado no segundo tempo, apelando a todas as forças para tentar salvar, pelo menos, um ponto.

O duelo colocava frente-a-frente duas equipas com objectivos idênticos e que passam pela manutenção na Pró-Nacional. Nesse particular, a turma orientada por João Salgueiro leva alguma vantagem, já que se encontra na 14.ª posição com 28 pontos, mais três que o SP Arcos, a primeira equipa abaixo da linha de água.
O Porto d’Ave, que está numa sequênca de quatro jogos sem perder e esteve perto de somar ontem a segunda vitória consecutiva, passou a somar 23 pontos e está em 16.º.

O primeiro golo do desafio surgiu após uma infelicidade de Branca, que não teve tempo de reagir a um remate forte de Jó Vieirinha que Salgueiro defendeu para a frente. O número 18 do Santa Maria, com a cabeça, colocou a bola no fundo das redes da própria baliza. O 0-2 surgiria já aos 41 minutos, quando Vitinha, à segunda, bateu Salgueiro e deixou tudo bem encaminhado para os visitantes.
A reentrada dos visitados em campo foi bastante enérgica e se Xavi falhou o 1-2 de forma cantada, Luís Salgueiro, aos 79 minutos, ainda beneficiou de um desvio na barreira após o livre para deixar todos a acreditar.
Já em cima dos 90, falta cobrada por Xavi e Branca, no segundo andar, a cabecear para o golo do empate e da redenção.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho