Correio do Minho

Braga, terça-feira

Theatro Circo celebra hoje 102 anos com espectáculo solidário
Câmara de Vila Verde reforça abastecimento de água

Theatro Circo celebra hoje 102 anos com espectáculo solidário

Maria da Fonte perde pela margem mínima na deslocação ao terreno do CC Taipas

Braga

2017-04-21 às 09h53

Redacção

ESPECTÁCULO ‘Antes que Matem os Elefantes’, de Olga Roriz, sobe esta noite ao palco do Theatro Circo, que celebra assim o seu 102.º aniversário.

‘Antes que Matem os Elefantes’ é o espectáculo da Companhia Olga Roriz que o Theatro Circo escolheu para apresentar na comemoração do seu 102.º aniversário. O evento, que tem uma vertente solidária, realiza-se hoje, às 21.45 horas.
Neste contexto, 50% da receita do espectáculo reverte a favor da Unicef, mais concretamente do programa desenvolvido em prol das crianças da Síria.
Para além desta acção direccionada para a intervenção humanitária na Síria, o aniversário solidário do Theatro Circo mate- rializa-se ainda numa campanha, já em curso, de recolha de bens de primeira necessidade para as famílias refugiadas da guerra da Síria residentes em Braga.
Constituindo um alerta para uma reflexão colectiva sobre o conflito na Síria e para o drama dos refugiados, ‘Antes que Matem os Elefantes’, de Olga Roriz, traz para palco um cenário de guerra no qual sete bailarinos encarnam o sofrimento que aquele conflito representa na vida de todo um país.
A abrir o espectáculo, os depoimentos de crianças, na sua maior parte, residentes em Alepo (Síria) foram a opção da coreógrafa para posicionar este trabalho. “As crianças que apare- cem no vídeo introdutório passam fome, algumas ficaram órfãs, perderam irmãos, familiares, estão perturbadas, e as vozes e as palavras constituem um alerta para o público”, explica Olga Roriz.
Quanto ao cenário escolhido, Olga Roriz diz que o apartamento destruído que recria em palco “poderia ser simbolicamente o conflito interno das pessoas, ou uma guerra em qualquer lugar, mas é sobre a Síria onde o conflito continua a provocar fome, violência, morte e a lançar o país no caos”.
Sobre o enquadramento solidário deste 102.º aniversário e a abordagem de um tema pouco festivo em momento de celebração, a Administração do Theatro Circo destaca, em comunicado, o papel da cultura enquanto difusor de conhecimento e promotor de reflexão crítica e recorda ainda que a promoção do entendimento intercultural e da integração é uma das directivas da estratégia europeia para a cultura. “O Theatro Circo tem obrigação de colocar em prática esta missão da actividade cultural e de fazer reflectir na sua programação o contexto global que condiciona a vida de todos nós, olhando também para o que acontece na comunidade em que se integra”, explica Cláudia Leite.
“Por esta razão, aproveitando uma circunstância em que o Theatro Circo tem especial visibilidade, fez-nos sentido dar ênfase a esta função menos visível da actividade cultural e amplificar o alerta que a Companhia Olga Roriz lança no espectáculo ‘Antes que Matem os Elefantes’, ajudando os refugiados que a cidade acolhe com a promoção de uma recolha de bens e contribuindo para o programa humanitário que a Unicef leva a cabo neste contexto”, justifica a administradora.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.