Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Terras de Bouro uniu-se na homenagem “mais que justa” a José Araújo
Bienal de Flauta Transversal encerra com chave de ouro

Terras de Bouro uniu-se na homenagem “mais que justa” a José Araújo

Extraordinário concerto encerra Bienal Internacional de Flauta Transversal na Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos

Cávado

2018-10-21 às 06h00

José Paulo Silva

Dia do concelho de Terras de Bouro foi marcado pela homenagem póstuma ao homem que o governou durante 22 anos. José Araújo é nome de uma das praças da sede do concelho.

O ex-presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, José Araújo, foi ontem agraciado, a título póstumo, com a medalha de honra do Município e a atribuição do seu nome a uma das praças da sede do concelho, numa homenagem que o actual edil, Manuel Tibo, reconheceu como “mais que justa”.
A homenagem ao homem que presidiu durante 22 anos à Câmara Municipal de Terras de Bouro abrilhantou a comemoração dos 504 anos da fundação do concelho e assinalou o primeiro ano do actual mandato autárquico. Manuel Tibo reconheceu que o reconhecimento do Município a José Araújo deveria ter sido em tempo de vida do ex-edil, falecido em Dezembro de 2016, com 85 anos de idade.

O nome de José António de Araújo, presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro entre 1979 e 2001 e governador civil de Braga de 2003 a 2005, fica perpetuado na toponímia da até agora designada Praça dos Espectáculos.
“Um autarca que esteve 22 anos à frente da Câmara Municipal merece imenso respeito”, justificou Manuel Tibo que, na sessão solene realizada no salão nobre dos Paços do Concelho, recordou “o homem da pêra” dos seus tempos de infância e juventude.

Parcídio Sumavielle, ex-presidente da Câmara Municipal de Fafe, que exerceu também as funções de governador civil de Braga, recordou José Araújo como “político leal, sincero e honrado” que “sempre soube construir pontes” e “contribuiu para a normalidade e pacificação da vida política da região”.
Sandra Araújo, filha do homenageado, realçou os primeiros anos de actividade autárquica do pai, altura “em que os meios eram muito escassos”.
“Elevado grau de teimosia e obstinação” foi característica apontada pela filha de José Araújo, que relevou igualmente a acção do ex-autarca “contra a prepotência e o autoritarismo”.

António Afonso, que sucedeu a José Araújo na presidência da Câmara Municipal de Terras de Bouro, lembrou a acção desenvolvida pelo carismático edil terrabourense na recuperação e valorização da Geira Romana e a luta que travou contra os constrangimentos do plano director municipal e do plano de ordenamento do Parque Nacional da Peneda Gerês, considerando mesmo que este instrumento legal foi “motivo para a desertificação do concelho”.
O historiador Viriato Capela, ex-vereador da Câmara Municipal de Terras de Bouro, destacou em José Araújo um defensor do “Direito dos costumes” que se deveria sobrepor ao “Direito das leis”.
“José Araújo tinha o sentido do tempo que nos falta hoje”, referiu também Viriato Capela, na sessão solene em que participou também Frei Bernardo Domingues, conterrâneo do homenageado. Para Viriato Capela, José Araújo foi “um construtor do poder local e da nossa identidade”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.