Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Tentativa de atropelamento a agente da polícia municipal
Launay em destaque no Europeu de Praga

Tentativa de atropelamento a agente da polícia municipal

Guerreiros preparam estreia na pedreira

Tentativa de atropelamento a agente da polícia municipal

Casos do Dia

2010-04-06 às 06h00

Luís Fernandes Luís Fernandes

Um jovem em fuga quase atropelava, sexta-feira, um agente da Polícia Municipal que o mandara parar, no Largo da Estação. Não tinha carta de condução. Presente ontem no Tribunal Judicial e após cumpridas formalidades, ficou a aguardar o seu julgamento em liberdade.

R. Araújo, de 22 anos, ia ao volante de um Opel Corsa quando, no Largo da Estação, um agente da Polícia Municipal o mandou parar.
Em vez de abrandar a marcha, refere a participação, o jovem condutor imprimiu velocidade ao carro, obrigando o agente da autoridade a desviar-se para não ser atropelado.
Fugindo pela Rua Andrade Corvo acima, teve o azar de encontrar os semáforos da Rua dos Biscainhos a vermelho.

Obrigado a parar e como fora dado o alerta da sua fuga foi apanhado e detido.
Presente ontem no Tribunal Judicial para julgamento sumário pela prática de um crime de condução sem habilitação legal, a audiência não se efectuou, tendo sido solicitado o seu certificado de registo criminal.

Aguarda, pois, o seu julgamento em liberdade, após ter prestado o termo de identidade e residência.
Refira-se, a propósito, que um julgamento sumário pode ser adiado se o arguido requerer prazo para preparar a sua defesa, ou se o tribunal 'considerar necessário que se proceda a quaisquer diligências de prova essenciais à descoberta da verdade'.

Pagar a prestações

Entretanto, pela prática de crime idêntico foi condenado no mesmo Tribunal Judicial, em processo sumaríssimo, na pena de 100 dias de multa, à taxa de 6 euros por dia, o manobrador de gruas A. Silva, de 42 anos.

O facto de, entre outros aspectos, estar inserido familiar e socialmente, não ter antecedentes criminais e tendo em atenção a sua situação económica, levou o juiz a facilitar-lhe o pagamento dos 600 euros do total da pena de multa que lhe foi aplicada.

Assim, essa quantia vai ser paga em três prestações de 200 euros cada uma, a primeira das quais venceu no passado dia 15 de Março. As restantes são pagas em igual dia dos meses que se seguem. O não pagamento de uma delas implica o vencimento das seguintes.
O arguido foi condenado também a pagar custas do processo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho