Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Surto em lar afecta infecta 53 utentes e 11 funcionário
Dumiense quase na máxima força

Surto em lar afecta infecta 53 utentes e 11 funcionário

Câmara da Póvoa de Lanhoso lança pacote de apoios sociais

Surto em lar afecta infecta 53 utentes e 11 funcionário

Nacional

2020-10-29 às 09h30

Redacção Redacção

Surto no lar de idosos da Casa de Caridade Nossa Senhora da Conceição já infectou 53 utentes e 11 funcionários.

O presidente da Casa da Caridade de Ponte de Lima confirma um surto de Covid-19 num lar da instituição que infectou 53 dos 67 utentes e 11 dos 33 funcionários.
Contactado Lusa, Agostinho Freitas adiantou que, na terça-feira, a instituição “separou os idosos infectados” dos restantes, sendo que os 14 utentes “negativos foram instalados numa ala criada dentro da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI) de Nossa Senhora da Conceição”.
“Os sintomas nos idosos infectados começaram a manifestar-se de terça para quarta-feira, como problemas respiratórios, tosse, náuseas. Na terça-feira, um senhor de 85 anos, já bastante fragilizado, foi internado no Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo”, referiu.
O surto associado a esta ERPI teve início na última sexta-feira, com a confirmação dos dois primeiros casos em utentes.
No sábado, a instituição accionou o plano de contingência e no domingo “foram testados todos os utentes e colaboradores da ERPI”, sendo que os resultados foram conhecidos na terça-feira.
Segundo Agostinho Freitas, “ainda hoje (ontem) a instituição vai ser alvo de uma visita técnica da autoridade de saúde pública para aferir da eficácia da separação dos idosos”.
“Se a autoridade de saúde entender que a instituição cumpre os requisitos exigidos os idosos permanecerão na instituição. Caso contrário terão de ser evacuados”, adiantou. Segundo Agostinho Freitas, aquela avaliação técnica foi decidida ontem, em reunião da Comissão Municipal de Protecção Civil, convocada pela Câmara de Ponte de Lima.
Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara explicou que naquela reunião “foi solicitada à Segurança Social uma brigada de intervenção rápida”, uma vez que “um terço dos funcionários da instituição está infectado”.
Victor Mendes disse que aquela brigada será constituída por quatro técnicos de saúde e sete auxiliares e que ainda ontem “pelo menos parte dos profissionais” seriam “disponibilizados”.
Hoje, pelas 9 horas, a Comissão Municipal de Protecção Civil volta a reunir-se para analisar a conclusão da visita saúde pública à instituição.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho