Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Situação em Vizela “é bastante preocupante”
Comunidade empresarial desafiada a criar corrente solidária de apoio ao comércio de Esposende

Situação em Vizela “é bastante preocupante”

Dstgroup conquista dois prémios no Archicture Masterprize 2020

Situação em Vizela “é bastante preocupante”

Vale do Ave

2020-10-31 às 06h00

Redacção Redacção

Edil alerta que a situação epidemiológica de Vizela está “bastante preocupante” e defende recolher obrigatório para mitigar pandemia.

O presidente da Câmara de Vizela afirmou ontem que o dever de permanência no domicilio, ao “não pôr em causa” a economia, ajudaria a mitigar a evolução da pandemia de Covid-19 e “o alastrar” de contágios no concelho.
“Somos uma população de cerca de 24 mil habitantes e nos últimos sete dias aumentamos em 100 o número de casos”, afirmou Vítor Hugo Salgado à Lusa, acrescentando que o número de novas infecções passou de 272 para 373 na última semana.
Vítor Hugo Salgado afirmou estar em “contacto permanente” com o secretário de Estado Eduardo Pinheiro, que está a coordenar a pandemia na região Norte, e que aguarda o Conselho de Ministros extraordinário para que sejam implementadas medidas mais globais.

“Estamos numa fase preocupante e acho que é necessário tomar o máximo de medidas de forma concertada”, afirmou.
O autarca salientou que a situação no concelho de Vizela está “bastante preocupante” dado, por um lado, a aproximação a Guimarães, e por outro, aos concelhos de Felgueiras e Lousada, onde foram implementadas, a par com Paços de Ferreira, medidas mais restritivas para combater a evolução da Covid-19.
Nesse sentido, a autarquia tomou uma série de medidas para evitar os contágios e mitigar a propagação da doença, bem como medidas de apoio social.
O encerramento dos cemitérios durante este fim-de-semana, a suspensão das feiras semanais e limitações no funcionamento dos serviços municipais com as equipas a funcionar em “espelho”, foram algumas das medidas adoptadas.

O autarca afirmou que já foram distribuídas cerca de 100 mil máscaras e que estão a ser distribuídos ‘kits’ de equipamentos de protecção e higienização às várias IPSS do concelho, aos comerciantes, bombeiros e escolas.
Paralelamente, a autarquia criou “um programa de emergência alimentar” que complementa o já existente no concelho, principalmente, devido ao aumento do desemprego, que segundo o autarca, face ao mesmo período homologo, ronda os 40%.
O edil está infectado com o novo coronavírus e desde há 12 dias que recupera em casa.
“Neste momento, estou numa fase estável de recuperação, o que é óptimo porque foi duro”, disse, explicando que, no seu caso, a Covid-19 evoluiu para uma pneumonia, mas como tinha suficiente oxigenação do sangue, não foi necessário o internamento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho