Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Sete Fontes será futuro Eco Parque
Terras de Bouro: Projecto Pimpolho continua em 2020

Sete Fontes será futuro Eco Parque

Famalicão aprova IMI agravado para prédios devolutos

Sete Fontes será futuro Eco Parque

Braga

2013-12-07 às 17h04

Redacção Redacção

Miguel Bandeira, Vereador do Património da Câmara Municipal de Braga, anunciou aquele que virá a ser um Eco Parque no Complexo Hidráulico das Sete Fontes, onde estarão integradas as “valências patrimoniais canónicas” da arquitectura barroca, os “testemunhos tecnológicos” de engenharia hidráulica do século XVIII, mas também uma integração da “dimensão do património cultural com o património natural” próprios do local.

Miguel Bandeira, Vereador do Património da Câmara Municipal de Braga, anunciou aquele que virá a ser um Eco Parque no Complexo Hidráulico das Sete Fontes, onde estarão integradas as “valências patrimoniais canónicas” da arquitectura barroca, os “testemunhos tecnológicos” de engenharia hidráulica do século XVIII, mas também uma integração da “dimensão do património cultural com o património natural” próprios do local.

Vista pelo Município de Braga como testemunho de uma nova atitude proactiva de valorização do Património, a intervenção anunciada para a defesa do Complexo Hidráulico das Sete Fontes prevê não somente a salvaguarda e a preservação dessa instalação arqueológica, mas também “o potenciamento de um espaço que é um testemunho de um ambiente autóctone, biológico e geomorfológico do território onde está instalada a cidade de Braga”, explicou o Vereador responsável pelos pelouros do Património, Regeneração Urbana, Planeamento, Ordenamento e Urbanismo. Para Miguel Bandeira, esta iniciativa “procura sintetizar e demonstrar o papel que a Autarquia pretende ter no estudo, defesa e divulgação do património”.

Nesse sentido, será submetida a apreciação e deliberação, na próxima reunião do Executivo Municipal, a realizar Segunda-feira, dia 9 de Dezembro, uma proposta de suspensão parcial do PDM de Braga relativo a esta zona e consequentes medidas preventivas para protecção e salvaguarda do Sistema de Abastecimento de Águas das Sete Fontes, acautelando o ordenamento urbanístico nesta área.
A revelação aconteceu no contexto do «I Seminário Educação Patrimonial - Novos Desafios Pedagógicos», decorrido no Museu D. Diogo de Sousa, Quinta-feira, 5 de Dezembro.

A iniciativa serviu para uma primeira divulgação à comunidade da recente parceria existente entre a Câmara Municipal de Braga e a Universidade do Minho (UM), através de um protocolo que visa uma maior interacção entre estas duas instituições, com o objectivo último de desenvolver e melhorar os serviços prestados à comunidade.

“A aproximação da Universidade do Minho à comunidade local e regional, contribuindo para o aprofundamento de conhecimentos científicos, académicos e educativos e a construção de sinergias que contribuam para o desenvolvimento e cidadania activa das populações”, são apenas alguns dos objectivos apontados por Ana Serrano, docente desta Universidade, como os principais focos da parceria.

Produto dessa mesma parceria, o Seminário «Educação Patrimonial - Novos desafios pedagógicos» integra-se nos Projectos de Educação Histórica, Social e Patrimonial do Grupo de Investigação «Educação em Ciências, Sociedade e Desenvolvimento», do Centro de Investigação em Educação (CIEd), e do Projecto «Comunica Património», da Câmara Municipal de Braga.

*** Nota da C.M. de Braga ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.