Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Sensibilizar a sociedade para a Espondilite Anquilosante
Milhares assistiram à Queima do Pai das Orelheiras

Sensibilizar a sociedade para a Espondilite Anquilosante

Município de Montalgre desafia Marcelo Rebelo de Sousa a condecorar o padre Fontes

Sensibilizar a sociedade para a Espondilite Anquilosante

Desporto

2020-01-23 às 06h00

Miguel Machado Miguel Machado

Unidos por uma causa atletas federados, amadores e profissionais de saúde juntaram-se, num torneio de natação, para dar a conhecer uma doença pouco conhecida, mas que afecta em Portugal cerca de 50 mil pessoas. Secção de natação do SC Braga associou-se à iniciativa da ANEA.

A Espondilite Anquilosante (EA) é uma doença pouco co-nhecida mas atinge cerca de 50 mil portugueses. Para ajudar a sensibilizar a sociedade para esta patologia — que provoca a perda de mobilidade da coluna vertebral — a Associação Nacional promoveu um torneio de natação, no domingo, nas piscinas municipais de Santa Clara, em Lisboa, para dar a conhecer a doença e incentivar para a prática regular de exercício físico como forma terapêutica. 
A EA afecta a mobilidade dos doentes, com forte impacto na sua qualidade de vida. Porém, a prática regular de exercício físico, nomeadamente a natação, “considerada um dos desportos mais completos”, como destaca André Ferreira, director da secção de natação do SC Braga, “pode ajudar a retardar a progressão da doença, reduzindo o impacto dos sintomas no dia-a-dia do paciente.
O torneio, que decorreu em Lisboa, organizado pela ANEA e Novartis, com apoio da da Fede-ração Portuguesa de Natação (FPN) e da Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR), juntou atletas federados de natação, com atletas amadores, e profissionais de saúde. Iniciativa teve a ajuda de vários clubes, entre eles o SC Braga, Clube Fluvial Portuense, Benfica e Sporting, que associaram-se a esta causa nobre, com a participação de atletas federados.
O núcleo da ANEA de Braga esteve representado neste torneio nacional com duas equipas compostas por atletas do SC Braga, Juliana Freixo e João Lopes, e os atletas amadores Jorge Matos e João Silva.
A equipa dos Guerreiros e dos Espondibracaros logrou um excelente 2.º lugar do pódio colectivo. Mas o objectivo principal “foi cumprido”, como refere João Silva, atleta e portador desta doença. A nível individual, destaque ainda para a medalha ganha por João F. Lopes.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.