Correio do Minho

Braga,

- +
Segurança dos idosos junta GNR e DECO
Município distinguido com 1º prémio nacional IPIC 2019 atribuído pela UM e AMA

Segurança dos idosos junta GNR e DECO

Coros Comunitários de Natal animam Famalicão ao domingo

Segurança dos idosos junta GNR e DECO

Casos do Dia

2019-10-17 às 13h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

Operação 'Censos Sénior' levou ontem conselhos de segurança a quase duas centenas de idosos, em Guimarães. Este ano, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) associa-se com a iniciativa “SOS Consumidor”.

O auditório do quartel do Destacamento Territorial (DTER) de Guimarães da GNR, em S. Torcato, encheu ontem com as quase duas centenas de idosos que foram ouvir os conselhos da GNR e da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - DECO.
A acção de sensibilização, que juntou utentes de várias instituições de apoio a idosos do concelho de Guimarães, enquadra-se na operação “Censos Sénior” que a GNR tem no terreno até ao final do corrente mês.
No caso da GNR, o objectivo é sensibilizar os idosos que estão em situação mais vulnerável para alguns conselhos de segurança, quer em matéria de violência, quer de crimes como furtos e burlas.
Este ano, a DECO juntou-se à GNR com a iniciativa “SOS Consumidor” alertando os idosos para algumas práticas como as “vendas agressivas” e as vendas por telefone.
Para o comandante em suplência do DTER de Guimarães, Alferes Pereira, no caso dos idosos, e não só, “importa ter uma atitude preventiva”, daí a insistências nos conselhos de segurança.
A GNR já procura ter uma proximidade com os idosos, nomeadamente através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário de cada Destacamento, mas nunca é demais alertar, sublinha o Alferes Pereira.
A guarda Cláudia Magalhães, da SPCPC de Guimarães, apelou aos idosos que desconfiem sobretudo porque ninguém dá nada a ninguém, por isso, devem ficar alerta quando alguém liga ou bate à porta a dizer que ganhou um prémio que, quase sempre, é pretexto para alguma venda.
Lúcia Miranda, jurista da delegação do Minho da DECO, confirmou que muitas pessoas que chegam à associação já receberam um telefonema a dizer que ganharam um prémio. A jurista alertou ainda para a oferta de rastreios, que se tem multiplicado, e visa, também, vendas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.