Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
“Sector dos seguros está em crescimento” e enfrenta “novos desafios” a curto prazo
Arcos de Valdevez: Mais de dois mil alunos ‘abraçam’ a biodiversidade

“Sector dos seguros está em crescimento” e enfrenta “novos desafios” a curto prazo

BragaHabit cria solução inovadora

“Sector dos seguros está em crescimento” e enfrenta “novos desafios” a curto prazo

Ensino

2022-06-17 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

2.º Encontro de Gestão de Seguros, promovido pela Escola Técnica Superior Profissional (ETESP) do IPCA, debateu a integração no mercado de trabalho e as dinâmicas no sector. Transformação digital abre portas a novos desafios e oportunidades.

Citação

Um sector em crescimento, que enfrenta novos desafios. O 2.º Encontro de Gestão de Seguros – ‘Integração no mercado de trabalho’, debateu no auditório da Escola Técnica Superior Profissional do IPCA, em Braga, as dinâmicas que estão a ser geradas no sector de actividade das seguradoras, reflectindo sobre o potencial que a transformação digital aporta, nomeadamente, no que concerne à criação de novas oportunidades e formas de abordar o mercado.
“Hoje a sociedade vive enormes desafios originados pela transformação digital e o que implica que vivamos também uma nova época, com muitas oportunidades, muitos desafios, muita possibilidade de termos sucesso, mas, sobretudo, possibilidade de podermos construir o futuro que desejamos”, realçou Teresa Dieguez, directora do Curso Técnico Profissional de Gestão de Seguros, no arranque dos trabalhos.

“O objectivo deste segundo encontro é fortalecer, sobretudo, o contacto com a comunidade local e, em particular, este sector de actividades dos seguros, porque, efectivamente, o mundo está a mudar tão rapidamente e a forma como pensamos e vemos o seguro a curto prazo vai sofrer transformações grandes. Ou começamos, desde já, a preparar-nos para mudarmos o nosso mindset ou não vamos conseguir competir, porque estamos num mercado global e temos muitos mais concorrentes. As tecnologias que temos e a transformação digital traz-nos essa possibilidade de conectar dados na nossa tomada de decisões”, explicou a responsável, reforçando a ideia de que este segundo encontro serve “para pensar como vai ser o futuro, a curto prazo”.
“Os nossos estudantes podem aproveitar os estágios e este curso para pensar também em criar empresas e o seu próprio negócio. Este sector está em crescimento, as perspectivas é que cresçam a curto prazo e vamos aproveitar este boom”, frisou Teresa Dieguez.

Neste “match entre a comunidade empresarial e a comunidade académica”, pretende-se “preparar os estudantes para a integração no mercado de trabalho”, juntando os “vários parceiros” e “os principais players”, que até poderão ser entidades empregadoras no futuro, por forma a que “não haja um hiato” quando os alunos saírem do curso.
Esta vai ser a primeira turma de 40 alunos a terminar o Curso Técnico Profissional de Gestão de Seguros, do IPCA, depois de dois anos de formação, e a direcção do curso - que está a funcionar em Guimarães - pretende alargar a oferta já no próximo ano lectivo.
“Queremos ver se este ano abrimos uma outra turma, aqui em Braga, mas em pós-laboral. Percebemos que há muita procura deste tipo de conhecimentos e temos que adaptar a nossa oferta. Será esta a principal novidade”, anunciou Teresa Dieguez.

“Parcerias entre mundo académico e empresarial são muito enriquecedoras”

Segundo Encontro de Gestão de Seguros – ‘Integração no mercado de trabalho’ juntou vários parceiros, entre eles a Segup - Mediação de Seguros, que se associou ao IPCA, “no ano passado, quando iniciaram o primeiro congresso”.
“Lançaram-nos depois um desafio para podermos acolher alguns estagiários na nossa estrutura e aceitámos. Temos, neste momento, dois estagiários na estrutura da Segup e estamos muito contentes com eles, estamos a fazer um trabalho muito interessante”, sublinhou Diogo Oliveira, acrescentando que “estas parcerias entre o mundo académico e o empresarial são muito enriquecedoras para os alunos e para os futuros empregadores, que conseguem ter mão de obra qualificada”.
Já Francisco Botelho, do ECOSeguros, realçou a importância “da informação como elemento essencial para a actividade seguradora, em qualquer área da empresa”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho