Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
SC Braga reforçado tenta pódios na pista coberta
Quase 400 mil euros para fazer face à pandemia em Ponte de Lima

SC Braga reforçado tenta pódios na pista coberta

Novo prémio da DST tem 25 candidatos

SC Braga reforçado tenta  pódios na pista coberta

Desporto

2020-02-21 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Quarto classificado em masculinos e femininos no campeonato nacional de 2019, o Sporting Clube de Braga tenta este fim-de-semana os pódios colectivos da pista coberta.

O Altice Forum Braga, volta a receber, neste fim-de-semana, a Final do Campeonato Nacional de Clubes em Pista Coberta. Em disputa estão os títulos nacionais da I e II divisões nacionais de pista coberta, com oito equipas em cada uma das divisões.
“O Sporting Clube de Braga vai lutar por um lugar no pódio, tanto em femininos, como em masculinos”, comentou ontem, em declarações que prestou ao Correio do Minho, Manuel José, o director para esta modalidade da colectividade minhota, após lembrar que em 2019 foi só por 2 pontos que a equipa arsenalista falhou, no sector feminino, o terceiro lugar.
Na edição anterior, ambas as equipas bracarenses ficaram na quarta posição.

No sector feminino, o Sporting dominou com 99 pontos, mais 14 do que o Benfica, que foi o segundo com 85, sendo o pódio fechado pela Juventude Vidigalense, com 66 pontos, mais 2 pontos do que o SC Braga, que foi quarto com 64.
No sector masculino, a vitória foi do Benfica com 100 pontos, mais 12 do que o Sporting, que foi segundo com 88. Juventude Vidigalense fechou o pódio com 66,5, seguido do SC Braga com 56,5.
Ainda segundo Manuel José, foi a pensar em chegar nesta época ao pódio que, no último defeso, o clube bracarense procedeu à aquisição de reforços procurando assim “colmatar lacunas” em algumas especialidades nas quais o SC Braga em 2019 não conseguiu competir.

Carina Vanessa (400 metros) ou a luso-caboverdiana Carla Mendes (800 metros) são casos de reforços que o director aponta para o Sporting Clube de Braga assumir agora com mais clareza o objectivo de chegar ao pódio no feminino, revelando ainda que Mariana Machado - que no ano passado correu os 800 e os 1500 metros - fica este ano mais focada nas provas de 1500 e nos 3000 metros.
No sector masculino, Manuel José lembra contratações dos ‘guerreiros’ de Edson Oliveira para os 60 m barreiras, Carlos Veiga para o triplo salto ou ainda para o salto em altura de Francisco Barreto, atleta que estabeleceu recentemente o recorde regional da especialidade, com a marca de 2,11 metros, ultrapassando em 1 cm o recorde de Rafael Vilas Boas do SC Braga (2017) e Tiago Costa, do Ribeirão (2014). Recorde-se, no entanto, que no mesmo dia 1 de Fevereiro, Paulo Conceição (Benfica) bateu o recorde nacional com a marca de 2,28 metros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho