Correio do Minho

Braga, terça-feira

SC Braga: Com ou sem chuteiras o objectivo é a vitória em Marselha
Luís Valente de Oliveira sublinha potencial dos Laboratórios Colaborativos

SC Braga: Com ou sem chuteiras o objectivo é a vitória em Marselha

Investigadores conseguem sondar átomo magnético

Desporto

2018-02-14 às 06h00

Carlos Costinha Sousa

Duelo em frança traz à memória o insólito episódio que ocorreu na últi-ma vez que as duas equipas se encontraram em terras gaulesas.

O duelo que o Sporting Clube de Braga vai disputar, amanhã, no Estádio Velodrome, casa do Olympique de Marselha, em França, a contar para a primeira mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa traz, obrigatoriamente, à memória o insólito episódio que ocorreu na altura e noticiado pelo Correio do Minho no dia 6 de Novembro de 2015 [ver imagem]. Todas as chuteiras de todos os jogadores do SC Braga que estavam em França desapareceram do balneário que estava destinado aos Guerreiros do Minho. Uma situação insólita e inédita que motivou muito desconforto por parte do SC Braga que se viu obrigado a resolver a situação, sem que a UEFA pensasse sequer em adiar o encontro [ver caixa].

Recordando o episódio, depois do habitual treino de adaptação ao relvado do Estádio Vélodrome, os jogadores do Braga deixaram as chuteiras que seriam utilizadas no jogo do dia seguinte no balneário do recinto da equipa francesa, como é normal acontecer, mas as botas dos futebolistas arsenalistas acabaram por desaparecer.
Na altura, de forma a resolver a situação, uma vez que a UEFA não facilitou a tarefa ao SC Braga, o clube entrou em contacto com as diferentes marcas que disponibilizaram novas chuteiras para os atletas. Esta situação



trouxe vários problemas e riscos para os atletas bracarenses, uma vez que o risco de lesões é acrescido quando se faz um jogo inteiro com botas a estrear, especialmente quando se tratam de chuteiras, muitas vezes feitas por medida para cada jogador. Além disso, muitos dos atletas são patrocinados por marcas, pelo que houve trabalho extra para que o jogo se realizasse.
Nessa altura, o Estádio Velodrome estava em obras, a ser requalificado para a fase final do Euro 2016, e na zona onde ocorreu o furto supostamente não havia câmaras de vigilância.

O SC Braga realizou a partida, mas sob protesto, seguro também na liderança que tinha no grupo, com nove pontos.

A partida terminou com a vitória do Marselha, com um golo de Nkoudou aos 39 minutos. No outro jogo do grupo entre as duas equipas, o SC Braga recebeu e derrotou a equipa do Marselha por 3-2, com golos de Hassan, Wilson Eduardo e Alan. Para os franceses marcaram Alessandrini e Batshuay.

Amanhã, novamente em França, os Guerreiros do Minho querem vingar essa derrota de 2015 e prometem que, com chuteiras ou sem chuteiras, o triunfo é mesmo o único objectivo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.