Correio do Minho

Braga, sábado

- +
SASUM estima poupar três milhões de litros de água por ano
Barcelos: Família deve ser o primeiro garante de protecção das crianças

SASUM estima poupar três milhões de litros de água por ano

Exposição sobre as origens da Cultura Castreja na fundação de Esposende

SASUM estima poupar três milhões de litros de água por ano

Ensino

2019-08-01 às 10h19

Redacção Redacção

Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) desenvolveram e encontram-se a operacionalizar um projecto para obter a melhoria da eficiência hídrica das residências universitárias e dos pavilhões desportivos de Braga e Guimarães.

Os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) desenvolveram e encontram-se a operacionalizar um projecto para obter a melhoria da eficiência hídrica das residências universitárias e dos pavilhões desportivos de Braga e Guimarães.
Através da adopção de um sistema de chuveiros inovadores e mais eficientes bem como da instalação de equipamentos autocompensantes em todas as torneiras, espera-se reduzir o consumo de água em mais de 50% o que, só na Residência Carlos Lloyd Braga, equivale a mais de 3 milhões de litros, por ano.

Recorrendo a uma tecnologia patenteada, estes equipamentos promovem a entrada de ar forçado, através de pequenos orifícios, para o fluxo de água. Quando estes dois elementos se misturam, a velocidade e a turbulência aumentam, gerando um acréscimo da pressão e obrigando a água a sair com uma força superior à convencional e com um consumo, consideravelmente, menor.
Diogo Arezes, colaborador do Gabinete de Sustentabilidade dos SASUM destaca que “este é mais um projecto que surge no seguimento da forte política de sustentabilidade que os Serviços têm vindo a adoptar. A ideia é, numa primeira fase, utilizar a Residência Carlos Lloyd Braga como teste-piloto e, caso tudo corra conforme o esperado, proceder ao alargamento às restantes residências e pavilhões”.

Estes locais são caracterizados por apresentarem elevados gastos hídricos e energéticos. Só no ano de 2018, foram consumidos mais de 34 milhões de litros de água pelo que, esta iniciativa, assume, igualmente, um importante papel em termos económico-financeiro. “Para além da mais-valia ambiental, espera-se que esta iniciativa gere grandes poupanças nas facturas hídricas e energéticas uma vez que, grande parte da electricidade e gás consumido nestas instalações, é utilizado para o aquecimento das águas” refere, António Paisana, administrador dos SASUM.

O conforto e comodidade dos estudantes também não foi descurado, pelo que, através destes sistemas, vai ser possível melhorar das condições de bem-estar de todos os utentes.
A expectativa dos SASUM é que este programa se encontre a funcionar já a 100% no início do próximo ano lectivo na Residência Carlos Lloyd Braga estando o seu alargamento às restantes unidades, previsto para o início do segundo semestre.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.