Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Salão Medieval volta a acolher concertos ‘Clássicos ao Domingo’
Turismo e Desporto nas V Jornadas de Turismo do Politécnico de Viana do Castelo

Salão Medieval volta a acolher concertos ‘Clássicos ao Domingo’

Santa Casa de Vila Verde celebrou a festa da Padroeira

Salão Medieval volta a acolher concertos ‘Clássicos ao Domingo’

Braga

2023-03-24 às 08h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Orquestra Filarmónica de Braga retoma no Salão Medieval da Universidade do Minho, o programa denominado ‘Clássicos ao Domingo’, com concertos de entrada livre.

Citação

Fidelização de público, captação e fixação de talentos: estes os objectivos do programa musical ‘Clássicos ao Domingo’, que a Orquestra Filarmónica de Braga iniciou em 2022 e prossegue em 2023.
Esta segunda temporada abre já no próximo domingo, com o primeiro de oito concertos.
Ontem, no salão nobre da reitoria da Universidade do Minho, decorreu a apresentação da segunda temporada, com intervenções de Filipe Cunha, director e maestro da orquestra, e de Ana Ferreira e Joana Aguiar e Silva, em representação da Câmara de Braga e da Universidade do Minho, parceiros da orquestra neste projecto.
Com casas cheias em todas as sessões do ano passado, segundo Filipe Cunha os objectivos de fidelizar público e fixar talentos foram “largamente cumpridos”.
Os concertos de 2022, sempre às 12 horas de domingo, num momento em que na cidade de Braga “não havia muita oferta” tiveram sempre “casa cheia”, frisou Filipe Cunha .
Ao apresentar à comunicação social o programa da segunda temporada (ver coluna ao lado), Filipe Cunha agradeceu os apoios oferecidos pela Universidade do Minho, com a cedência do Salão Medieval, elogiando naquele espaço as “condições acústicas fenomenais”, e a sua localização central.
Agradeceu ainda à Câmara Municipal, que apoiou “desde a primeira hora” a iniciativa para dinamizar o centro e salientou que os oito concertos previstos neste âmbito em 2023 “ajudam muito” a fixar músicos que, de outro modo, poderiam ter de procurar trabalho fora.
Por outro lado, realçou adiante a capacidade de atrair a Braga talentos nacionais e estrangeiros, revelando que é frequente a recepção no correio electrónico de mensagens enviadas por maestros e músicos a oferecer-se para colaborar com a orquestra.
O director e maestro fez ainda questão de agradecer à Junta de Freguesia de Nogueiró a cedência de espaço para os ensaios da orquestra e aos patrocinadores que tornam o projecto possível, referindo as redes sociais, com comentários do público como um sinal de reconhecimento. “Essa é a maior recompensa”, afirmou.
Por sua vez, Ana Ferreira, a chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal de Braga, salientou adiante o mérito de conseguir “motivar as pessoas’ e o propósito de “alavancar” este projecto, de modo a poder ganhar “escala nacional e internacional”. Aquela responsável vincou que tal só é possível com recurso a vários parceiros “e com os apoios de todos”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho