Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Ricardo Horta “em casa” até 2024
Sector têxtil tem ambição mas pede reformas

Ricardo Horta “em casa” até 2024

Exclusividade médica e reflexão sobre ‘o útil vs o fútil’ são desafios

Ricardo Horta “em casa” até 2024

Desporto

2019-09-17 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Avançado soma dois anos ao anterior vínculo, que expirava em 2022. Aos 25 anos e 138 jogos com a camisola arsenalista depois, o mais velho dos irmãos Horta assume-se “orgulhoso e grato pela aposta”.

A notícia vinha sendo avançada nos últimos dias, mas ontem chegou a confirmação oficial: Ricardo Horta, de 25 anos, será Guerreiro do Minho até 2024.
O avançado, que chegou à equipa do SC Braga em 2015, proveniente do Málaga, acrescenta assim dois anos ao anterior vínculo, que expirava em 2022. Na hora de comentar a extensão do contrato com os arsenalistas, Horta assumiu que fora uma recompensa, mas também um reconhecimento.

“Esta aposta do clube significa a recompensa do trabalho que tenho vindo a fazer até aqui”, começou por referir, salientado depois os “três grandes anos” que passou em Braga. “Agora está-se a iniciar o quarto e espero que corra tão bem como correu até aqui. É um sentimento de orgulho, porque para mim é um prazer enorme jogar aqui e representar este clube. A minha renovação é uma aposta e estou muito satisfeito”, assumiu.
Quanto aos objectivos a alcançar daqui em diante, Horta compromete-se a ajudar na evolução e crescimento do clube.
“O que me motiva a prolongar esta ligação é continuar a ajudar o clube a crescer, é isso que tem acontecido ao longo dos anos e tanto eu como o presidente, porque foi o que me transmitiu, temos a mesma ambição e os mesmos objectivos”, destacou, prosseguindo: “Sinto que temos muito caminho a percorrer em conjunto e por essa razão entendo que faz todo o sentido prolongar a minha ligação ao SC Braga”, destacou o avançado que leva já 35 golos em 138 jogos pelo SC Braga.

Familiaridade, conforto e serenidade, são alguns dos factores que o ‘prendem’ ao clube e que o fazem sentir-se “em casa”.
“Poder estar no meu país é bastante confortável e o SC Braga é um clube que me acolheu muito bem desde o início”, começou por destacar, antes de acrescentar: “Sinto-me completamente em casa aqui, tanto com as pessoas que trabalham no clube como com as pessoas de fora, e aqui posso dizer que estou na minha zona de conforto, a fazer aquilo de que mais gosto, que é jogar futebol”, assegurou.

A finalizar, Ricardo Horta reconheceu que os últimos três anos - período no qual chegou à Selecção Nacional A - foram decisivos para se tornar mais maduro a nível pessoal e profissional, com destaque para a evolução do seu futebol.
“Acho que estou mais maduro. É assim que as pessoas crescem, com o passar do tempo, e acho que a nível futebolístico e a nível pessoal estou mais maduro comparativamente com a pessoa e o jogador que era quando aqui cheguei”, frisou o jogador que não se esquivou a confidenciar um aspecto da vida particular.
“Já tenho uma filha, outra a caminho, e a nível futebolístico posso dizer que cresci bastante e estou um jogador muito melhor”, concluiu.
Ricardo Horta está a cumprir a sua quarta época no SC Braga e é um dos indiscutíveis do plantel orientado por Sá Pinto.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.