Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Retoma do campeonato à lei da bomba
Proibidas queimas e queimadas em Vieira do Minho até Setembro

Retoma do campeonato à lei da bomba

Engenheiras da UMinho criam rede para partilhar experiências e consciencializar a sociedade

Retoma do campeonato à lei da bomba

Desporto

2020-06-04 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

Gil Vicente derrotado, no Algarve, em casa do Portimonense, no jogo que marcou o regresso da competição da I Liga e abriu a 25.ª jornada. Momento de inspiração de Lucas Fernandes marcou o encontro. Gilistas bastante perdulários na primeira parte.

Quase três meses depois, o regresso. A bola voltou a rolar na I Liga e, no Estádio Municipal de Portimão, foi a magia de Lucas Fernandes a decidir o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, marcado pelo desperdício dos gilistas numa primeira parte que poderia ter ditado um outro rumo aos acontecimentos.
O jogo que marcou o regresso da competição começou com um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da pandemia da Covid-19, como de resto irá acontecer em todos os jogos desta 25.ª jornada do campeonato nacional.
Com as bancadas do estádio desertas e forradas com lonas pintadas com público - e apenas adeptos nas varandas dos prédios circundantes ao recinto de jogo - os primeiros minutos foram de futebol dividido, com sinal mais, claramente, para os gilistas, que entraram fortes em campo, encontraram espaços no ataque e criaram perigo com facilidade junto da baliza algarvia em três situações flagrantes dos pés de Sandro Lima, Rúben Ribeiro e Baraye.

Perante o desperdício ofensivo da formação de Barcelos, a equipa da casa foi crescendo no jogo e, a partir dos 25 minutos, tomou conta das rédeas da partida, com Hackman a ameaçar a baliza de Denis. Os algarvios foram mesmo para o balneário com mais posse de bola: 53 por cento.
A segunda parte começou, praticamente, com o golaço de Lucas Fernandes. Um grande momento de inspiração a abrir o marcador. Do meio da rua, o brasileiro encheu o pé e rematou potente, com a bola ainda a bater no ferro antes de entrar na baliza gilista. Portentoso remate indefensável para Denis.

Surpreendido pelo golo, o Gil Vicente foi uma sombra do que se viu no início do jogo e tardou a reagir, com Claude Gonçalves a atirar de longe para defesa segura de Gonda. O técnico Vítor Oliveira respondeu com uma dupla substituição, fazendo entrar Lino e Hugo Vieira, mas as alterações não deram frutos, já que foi o Portimonense à procura do segundo, perante um Gil desinspirado ofensivamente. Jackson Martínez falhou por pouco o desvio ao cruzamento de Aylton e Boa Morte chegou mesmo a marcar para os algarvios, mas o lance foi anulado correctamente por posição irregular.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho