Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Rede de Museus de Esposende junta 25 estruturas do concelho
Fafe viveu tarde de festa em encontro de cantadores de reis

Rede de Museus de Esposende junta 25 estruturas do concelho

Cento e seis mil pessoas visitaram Presépio ao Vivo de Priscos

Cávado

2017-05-19 às 17h09

José Paulo Silva

MUNICÍPIO quer potênciar património do concelho como “activo económico”. Rede ontem criada avança com roteiro comum para maximizar oferta cultural.

Museus, núcleos museológicos, um centro interpretativo e colecções visitáveis estão, desde ontem, integradas na Rede de Museus de Esposende, estrutura de adesão voluntária que visa criar um roteiro e sinalética comum e maximizar a oferta cultural e turística do concelho.
A Câmara Municipal de Esposende rubricou, no Fórum Rodrigues Sampaio, o protocolo de adesão e a carta de princípios da Rede com mais de duas dezenas de instituições fundadoras, destacando o seu presidente, Benjamim Pereira, esta parceria alargada como o início da transformação do património imaterial e imaterial do concelho em “activo económico evidente”.
Segundo o autarca, “acabou a ideia de que o turismo em Esposende é só praia e gastronomia”, passando o património a figurar como motivo de visita ao concelho.
A Rede de Museus de Esposende é constituída pelos museus Municipal, Marítimo e de Arte Sacra, pelo Centro Interpretativo do Castro de S. Lourenço, pela Casa das Marinhas (Viana Lima), pelos núcleos museológicos dos bombeiros e das misericórdias de Esposende e Fão, da Confraria do Bom Jesus de Fão e da Casa do Povo de Apúlia e, ainda, pelas colecções visitáveis de 15 paróquias.
A vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Jaqueline Areias, relevou ontem o propósito da Rede em promover, inventrariar, investigar, publicar e conservar as colecções das entidades parceiras.
A estrutura sedeada no Museu Municipal de Esposende foi criada para responder à dificuldade de algumas instituições em lidar com a inventariação e inventariar esse património.
Os responsáveis camarários entendem que os museus, núcleos museológicos e colecções “são instrumentos privilegiados da cultura e da educação”.
Benjamim Pereira entende que “é preciso perceber o enorme potencial que o concelho de Esposende tem para preservar”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.