Correio do Minho

Braga,

- +
Real: moradores revoltados com ajuntamentos na Travessa do Milhão
Vizelenses tropeçam diante dos jovens dragões

Real: moradores revoltados com ajuntamentos na Travessa do Milhão

Carlos Carvalhal: “Não podíamos sofrer aqueles dois golos perto do intervalo”

Real: moradores revoltados com  ajuntamentos na Travessa do Milhão

Braga

2020-06-30 às 09h00

Paula Maia Paula Maia

Barulho, consumo de álcool que se verifica até alta horas da madrugada junto a um café situado na zona está a gerar contestação entre moradores que denunciam ainda o consumo e tráfico de droga.

Os moradores da Travessa do Milhão, que conflui com a Rua Costa Gomes, estão indignados com os ajuntamentos que se têm verificado naquele local da freguesia de Real onde está localizado um estabelecimento comercial.
Os moradores afirmam que a situação se torna mais visível à noite, sobretudo a partir das 23 horas, com os frequentadores a permanecerem na rua até de madrugada.
Os moradores revelam ainda que o local é “um centro de droga e consumo”, com a PSP a ser constantemente chamada ao local. Com medo de represálias reservam-se a não sair de casa.
Há dois anos a PSP procedeu?à detenção de um jovem nesta local por ter sido interceptado na posse de estupefacientes, mas a situação parece-se ter-se arrastado no tempo, gerando o sentimento de insegurança a todos os que vivem não nesta rua, mas também nos seus arredores
Contactado pelo CM, o presidente da União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe confirma que à junta têm chegado queixas dos ajuntamentos que ali decorrem diariamente, mas que se agravam ao fim-de-semana, não dispondo de condições para afirmar que esta é uma zona de consumo ou até de tráfico de estupefacientes. “Não sei porque nunca vi. A situação está sinalizada por causa dos ajuntamentos de muitas pessoas, sobretudo jovens, até altas horas da noite que incomodam efectivamente os moradores com o consumo de bebidas e barulho”, explica Francisco Silva, adiantando que já comunicou a situação à PSP e à Polícia Municipal, duas entidades que estão a efectuar rondas no local.
“Uma das situações que os moradores alegam relaciona-se com as entradas e saídas de um estabelecimento comercial localizado nessa zona, um café que abriu há pouco tempo na Rua Costa Gomes. O estabelecimento está licenciado, tem tudo em ordem. Mas o que está a provocar grande contestação é o facto das pessoas, sobretudoa partir das 23 horas, meia-noite, ficarem fora das instalações a falarem, a fazerem barulho, a consumirem álcool”, continua o autarca de Real, Dume e Semelhe, acrescentando que o problema agravou-se depois do desconfinamento.
“Neste momento, com a nova legislação, consumir álcool na via pública é crime e dá multa. Tem de ser por aí para que, de uma vez por todas, esta situação se resolva”, remata o autarca de Real.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho