Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Quinto melhor ataque da fase de grupos e à procura de novo recorde na UEFA
Home2Work transforma o café tradicional em destinos de conexão e inovação

Quinto melhor ataque da fase de grupos e à procura de novo recorde na UEFA

Maioria e CDU unidas contra descentralização coerciva

Quinto melhor ataque da fase de grupos e à procura de novo recorde na UEFA

Desporto

2019-12-11 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Guerreiros de Sá pinto apontaram até ao momento 11 golos na fase de grupos da Liga Europa, seis dos quais nos últimos dois jogos. Só Alkmaar, Sevilha, Arsenal e Espanhol marcaram mais. Faltam dois golos para superar marca de Jardim em 2011/12.

O jogo de amanhã frente ao Slovan Bratislava não será apenas para cumprir calendário. Apesar de já ter garantido a passagem aos 16 avos-de-final da Liga Europa, a equipa do SC Braga tem como objectivo garantir o término da fase de grupos no 1.º lugar, por forma a evitar o confronto na próxima fase com as equipas que ‘desçam’ da Liga dos Campeões. Terminar em primeiro, para além dos benefícios financeiros de que falaremos à frente, tem também um dado interessante e relevante a ter em conta: o facto de a 2.ª mão dos 16 avos ser disputada em Braga, o que pode ser determinante em caso de resultado desfavorável na primeira mão.

São já vários os recordes que o SC Braga vem igualando e até batendo nesta edição da Liga Europa. O último dos quais, na recepção ao Wolverhampton, foi o de maior número de jogos consecutivos sem perder nas provas europeias. Agora, e tendo em conta a veia goleadora que a equipa vem demonstrando nos cinco jogos já realizados, abre-se a possibilidade de se igualar ou até ultrapassar um novo recorde: o de maior número de golos apontados numa fase de grupos, que pertence ao plantel de 2011/2012, orientado por Leonardo Jardim, que na altura conseguiu apontar doze golos num grupo com Club Brugge (Bélgica), Birmingham (Inglaterra) e Maribor (Eslovénia).
Ora, neste momento a formação de Sá Pinto já leva onze tentos apontados, o que perfaz uma média de 2,2 golos por jogo. Um festejo na Eslováquia amanhã permite igualar esse feito, mas dois festejos escreverá nova página histórica e um outro recorde para juntar à conta pessoal.

Neste momento, o SC Braga é o quinto melhor ataque da fase de grupos, num universo de 48 equipas, distribuídas por doze grupos. Os minhotos são apenas ultrapassados pelos holandeses do AZ Alkmaar (quinze golos), os espanhóis do Sevilha (catorze golos), os ingleses do Arsenal (doze golos) e os espanhóis do Espanhol (passe a redundância), também com doze golos.
Paulinho, Ricardo Horta, Wilson Eduardo e Galeno, apesar de poder haver alguma gestão, são as principais armas apontadas à baliza eslovaca, e o melhor caminho para que o SC Braga possa bater mais um recorde.

Quinteto à espera da estreia e um de olho nos 16 avos

Não é crível que Ricardo Sá Pinto opere uma profunda revolução no jogo de amanhã frente ao Slovan Bratislava, mas são de esperar algumas mudanças, até porque no Domingo há jogo importante para a I Liga, fente ao Paços de Ferreira, que surge na sequência da derrota na Vila das Aves, pelo que a equipa quererá recuperar os pontos perdidos e limpar, de certa forma, a pálida imagem deixada no terreno do último classificado.
Nesse sentido, há cinco jogadores do plantel e que estão inscritos na lista europeia que acalentam algumas esperanças de poderem somar os primeiros minutos na fase de grupos da Liga Europa. Claro que há alguns que terã mais possibilidades que outros, até por aquilo que são as necessidades da equipa neste momento e pelo que tem sido a aposta de Sá Pinto nestes jogadores nas outras competições.

Começando pela baliza, Tiago Sá ainda não tem qualquer minuto oficial somado esta época, em todas as competições, pelo que dificilmente o fará amanhã. Na defesa, os laterais Diogo Viana e Cajú, senão ambos, pelo menos um delos poderá conceder algum tempo de descanso a Esgaio e/ou a Sequeira. Uma vez que Esgaio já falhou a recepção ao Rio Ave por castigo, desta vez a ‘folga’ pode ser dada a Sequeira, ele que vem sendo dos mais utilizados do plantel.

No centro da defesa, e dada a não inscrição de Tormena e a recente lesão de Wallace, Lucas deve ser chamado (pelo menos para o banco), ele que jogou 90 minutos pela equipa B no fim-de-semana, frente ao Montalegre, certamente com a perspectiva de readquirir algum ritmo competitivo para qualquer eventualidade.
Ainda na questão central da defesa, Raúl Silva, que já está recuperado do longo calvário por que passou, não foi inscrito para a fase de grupos, mas é uma opção válida para a próxima fase, ele que recentemente foi utilizado na equipa de Sub-23 e até marcou um golo.
Nesta equação sobra Xadas, que também dificilmente deverá ter oportunidade de jogar, visto que tem até agora apenas 47 minutos esta época. 32 frente ao Brondby (gosto) e 15 com o Penafiel, para a Taça da Liga.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.