Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Questões climáticas no centro do debate
SC Braga: longo périplo guerreiro até Razgrad

Questões climáticas no centro do debate

Escola Básica Francisco Sanches desafia pais a apostarem numa alimentação saudável

Questões climáticas no centro do debate

Braga

2021-09-25 às 08h00

Redacção Redacção

Webinar digital sobre “Floresta, Qualidade do Ar e Recursos Hídricos” teve como foco a sensibilização da população para a temática das Alterações Climáticas. Professores de Geografia e Ciências da Terra da Universidade do Minho foram os oradores.



Ontem, dia 24 de Setembro, as cidades de Braga, Lisboa, Évora e Coimbra receberam a Noite Europeia dos Investigadores (NEI). Este ano, o tema da edição, “Ciência para o Clima”, serviu de mote para a realização de um webinar digital.
O encontro realizado em parceria com a Universidade do Minho e com a Câmara Municipal de Braga abordou o tema ‘Floresta, Qualidade do Ar e Recursos Hídricos’.
A actividade inseriu-se na ‘Semana do Clima’ e teve como objectivo principal sensibilizar a população para a temática das alterações climáticas.
Os oradores que marcaram presença nesta sessão foram António Bento Gonçalves, do departamento de Geografia da Universidade do Minho, e Amélia Reis e Margarida Antunes, do departamento Ciências da Terra. Estes três docentes debruçaram-se sobre os actuais problemas climáticos associadas aos três elementos básicos da natureza, terra, ar e água.
O professor associado da UM, António Bento Gonçalves, abordou as questões dos incêndios salientando que este “é um dos principais problemas no nosso país”. Segundo o docente, existe em Portugal um “ambiente propício aos incêndios”, reforçando a necessidade de se “implementar medidas de mitigação erosão pós-incêndio”. Neste âmbito o professor destacou o grande incêndio de Braga em 2017, que devastou cerca de mil hectares.
A importância social e ambiental dos programas de monitorização da qualidade do ar foi o segundo tema a ser retratado. A professora auxiliar, Paula Marinho Reis começou por salientar que a poluição atmosférica continua a ser um assunto de extrema importância, quer no meio ambiental como no meio social. A docente destacou as consequências da poluição no clima, mas também enfatizou o impacto na própria saúde humana, apresentando os dados da OMS que afirmam que a poluição do ar é um factor de risco crítico para doenças não transmissíveis, causando cerca 31% de mortes por doenças cardiovasculares, 20% por acidente vascular cerebral, 19% por doença pulmonar obstrutiva crónica e 7% associadas ao cancro do pulmão.
Margarida Antunes, por sua vez, incidiu a sua apresentação na importância da água, destacando que esta “ é um recurso cada vez mais escasso”. Segundo a professora auxiliar este é um tema que “merece uma especial atenção”, sendo essencial preservar quer a quantidade da água, como também a sua qualidade. Neste sentido, a oradora abordou os recursos hídricos nas zonas urbanas, salientando os actuais desafios enfrentados pelo Município. Margarida Antunes, fez uma particular referencia ao Rio Este, uma “área delicada”, que segundo a docente tem que ser controlada e preservada. O webinar motivado pela Noite Europeia dos Investigadores terminou com um apelo à consciencialização dos cidadãos para os actuais desafios.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho