Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
“Queremos discutir a eliminatória até ao último segundo”
João Granja pede explicações sobre vacinação

“Queremos discutir a eliminatória até ao último segundo”

Divulgação do VIII Torneio Internacional Cidade de Famalicão

“Queremos discutir a eliminatória  até ao último segundo”

Desporto

2021-02-25 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

Carlos Carvalhal tem consciência da dificuldade que têm pela frente, mas garante que vão lutar até ao último segundo pelo triunfo e reviravolta na eliminatória. Técnico do SC Braga quer guerreiros competitivos e focados nas capacidades. Profundo conhecedor do Sporting Clube de Braga, Paulo Fonseca admitiu “dificuldades

A tarefa em mãos “é difícil”, mas o espírito guerreiro do SC Braga fala mais alto. E nem que fosse apenas “um por cento de possibilidade” de passar a eliminatória “é para agarrar com todas as forças”. Carlos Carvalhal deixou claro que é com esta mentalidade de vitória que o SC Braga vai entrar em campo esta noite, frente à Roma, na segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa, de olhos pontos em lutar até ao último segundo pela reviravolta na eliminatória, depois do desaire caseiro no primeiro jogo.

“Nenhuma das equipas vai facilitar, as duas vão tentar ganhar. A Roma tem vantagem, se o jogo estivesse 0-0, seria 50 por cento para cada lado, com 2-0 será 70/80 por cento de possibilidades da Roma passar a eliminatória. Mas no futebol, mesmo que fossem 99 por cento havendo um por cento é para agarrar com todas as forças e tentar ganhar o jogo. E quando alguém se agarra a alguma coisa no futebol para tentar modificar um resultado negativo nunca é um milagre, é fruto do trabalho, competência e qualidade dos jogadores dentro de campo”, sublinhou o técnico, admitindo terem “uma tarefa difícil em mãos”.

“Estamos a perder por 2-0 ao minuto zero quando começar o jogo, mas aquilo que temos de fazer amanhã [hoje] é não olhar muito para o resultado da primeira mão e olhar sim para a nossa capacidade, para o que podemos fazer, discutir o jogo e estar dentro do jogo durante os 90 minutos, significa que estamos a ser competitivos, porque há jogos que se alteram nos cinco/dez minutos finais e queremos discutir a eliminatória até ao último segundo”, frisou.
Carlos Carvalhal lembrou que já antes do primeiro encontro “sabíamos que seria uma eliminatória extremamente difícil”, mas não contava com factores externos: “a Roma tem uma grande equipa, com um grande treinador, com grandes jogadores, quando há selecções ficam com sete jogadores, o resto são todos internacionais. O que não estávamos a contar na primeira mão era que houvesse outros factores que pudessem desequilibrar o jogo. A Roma foi a equipa mais perigosa nos 90 minutos, mas houve um factor desequilibrador naquele jogo, tendo em conta que são jogos que se decidem em pormenores, houve pormenores que nos puseram fora do jogo”, revelou, deixando críticas evidentes à actuação da arbitragem, lembrando a expulsão de Esgaio e uma grande penalidade que o árbitro não assinalou por falta sobre Spora.

“Tivemos um penálti que ainda hoje não consigo perceber como não foi assinalado, se não pelo árbitro, pelo VAR, e isso podia ter mudado o jogo. O jogo da primeira mão ficou nitidamente alterado com a expulsão, quem sabe amanhã [hoje], a Roma não fica a jogar com 10, e não é perdoado um penálti ou nós temos um penálti a nosso favor, em 90 minutos muita coisa pode acontecer”, rematou ainda o timoneiro bracarense.

“A eliminatória ainda não está fechada”

O treinador Paulo Fonseca disse ontem em conferência de imprensa que a Roma tem que ter a ambição de vencer o Sporting de Braga, apesar do triunfo conseguido na primeira mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa.
A equipa italiana, orientada pelo técnico português, venceu em Braga, por 2-0, e está em vantagem para seguir em frente, mas, para Paulo Fonseca, a “eliminatória não está fechada”.
“Vimos uma equipa muito forte do Braga e temos que ter a atitude certa. Conheço bem a mentalidade daqueles jogadores e do clube e sei que vão querer dar a volta ao resultado, por isso, a eliminatória não está fechada, temos que ter ambição de vencer a partida e não apenas geri-la”, disse o antigo treinador dos bracarenses.
Paulo Fonseca já treinou os arsenalistas na época de 2015/ /2016, tendo até conquistado uma Taça de Portugal ao serviço dos bracarenses.

Depois do jogo com o Sporting Clube de Braga, a AS Roma recebe, no domingo, o AC Milan, na liga italiana, prova na qual ocupa a quarta posição, a cinco pontos dos milaneses, segundos classificados, mas, para o treinador português, desde o início da época, “todos os momentos são decisivos”. “Neste momento, penso apenas na partida com o Braga, que será difícil, não quero pensar ainda no jogo com o AC Milan. Devemos fechar primeiro a eliminatória e, depois, pensaremos nesse jogo”, disse.
Com alguns jogadores lesionados, o técnico Paulo Fonseca confirmou que El Shaarawy, sentado ao seu lado na conferência de imprensa, será titular hoje.
Apesar da vitória fora poder deixar a equipa romana mais descansada, Paulo Fonseca afirmou que todas as atenções estão viradas para a partida frente ao SC Braga e que a eliminatória ainda pode trazer surpresas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho