Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Quando “a poesia é o melhor remédio” pode ser prescrita sem moderação
Encontrado morto em quarto de hotel

Quando “a poesia é o melhor remédio” pode ser prescrita sem moderação

Concurso de Pintura ao Ar Livre António Fernández acolheu 52 pintores de diferentes origens

Quando “a poesia é o melhor remédio” pode ser prescrita sem moderação

Braga

2019-03-22 às 06h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

POESIA AO CENTRO vai ao encontro das pessoas em várias unidades de saúde e farmácias de Braga, não só para comemorar o Dia Mundial da Poesia, mas os últimos anos têm vindo a comprovar que “a poesia é o melhor remédio”.

A prescrição começou com uma pequena dose, mas aumentou ao longo dos anos e, entre ontem e hoje, “a poesia é o melhor remédio”, dinamizada pela Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (BLCS) vai ao encontro de utentes nos centros de saúde, nas farmácias e nos dois hospitais do concelho.
“A poesia é o melhor remédio” enquadra-se no Dia Mundial da Poesia e, este ano, aumentou o número de entidades envolvidas na iniciativa, confirma a directora da BLCS, Aida Alves, apontando as 19 farmácias, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Cávado I, o Hospital de Braga, o Hospital Privado da Trofa Saúde e ainda o Laboratório de Análises Clínicas de S. Lázaro.
Aida Alves explica que a iniciativa faz ao encontro do desígnio do Plano Nacional de Leitura (PNL) de “ler mais dá saúde”.
Neste contexto, a classe médica tem sido uma aposta do PNL no sentido dos profissionais incentivarem também a leitura, pondo os pais a ler para os filhos e, noutras idades, os filhos a lerem para os pais”.
Assumindo que “a poesia pode ser efectivamente terapêutica”, a directora da BLCS destaca a parceria com o ACES Cávado I que tem sensibilizado os coordenadores da unidades de saúde familiares (USF) a acolherem a iniciativa “a poesia é o melhor remédio” e a prescreveram a leitura aos seus utentes.
Ao longo do dia de ontem, a poesia chegou a várias unidades de saúde, sob a forma de receitra médica, com Aida Alves a enaltecer a “receptividade muito positiva” desde os técnicos operacionais aos médicos, passando pelos enfermeiros.
“Alguns utentes ficam desconfiados, ao início, mas quando lhes explicamos que estamos a comemorar o Dia da Poesia já se abrem à iniciativa” refere a responsável pela biblioteca que destaca ainda a vertente de “poesia de proximidade” que tem sdo acarinhada pela BLCS.
Os poemas que entram nestas ‘receitas médicas” também cresceram em número e em autores, com a adição de poetas de Braga e da região, e este ano, com mais 2o poemas de Sophia de Mell Breyner, pela passagem do centenário do seu nascimento.
Estes dias também se passam “a ler mais poesia em viagem” com a parceria da empresa municpal de Transportes Urbanos de Braga (TUB) e dos Comboios de Portugal (CP) em cujas linhas foi distribuida poesia com a colaboração de alunos do curso deTeatro da Universidade do Minho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.