Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Proposta de alimentação alternativa à base de farinha de insecto vence concurso JUMP
Arcebispo apela à ‘frutificação’ de uma sociedade mais humana e mais justa

Proposta de alimentação alternativa à base de farinha de insecto vence concurso JUMP

Infraestruturas de Portugal assegura obras na Linha do Minho sem atrasos

Proposta de alimentação alternativa à base  de farinha de insecto vence concurso JUMP

Vale do Ave

2019-07-16 às 06h00

Redacção Redacção

Proposta da Startup Portugal Bugs foi a grande vencedora do concurso ‘JUMP’. Empresa, que quer afirmar-se como pioneira no sector em Portugal, recebeu um incentivo de 5 mil euros e o direito a instalar-se gratuitamente na incubadora Famalicão Made IN.

Desenvolver diversas alternativas alimentares naturais com incorporação de farinha de insecto é a proposta da Portugal Bugs que acaba de receber um impulso de cinco mil euros para o desenvolvimento do seu negócio. A Startup de Guilherme  Pereira  e Sara Martins, do Porto, venceu o concurso JUMP, promovido pela Câmara Municipal de Famalicão, através do Famalicão Made In, em parceria com o Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) e algumas empresas do concelho, e, para além do prémio monetário, conquistou o direito a instalar-se gratuitamente durante um ano na incubadora Famalicão Made IN com acesso a programa de aceleração de negócios.
 Os empreendedores têm já formuladas quatro barras proteicas, algumas formulações de massa proteicas e também os próprios insectos desidratados temperados, contando ainda com a própria farinha de insecto. A empresa procura destacar-se como marca pioneira do sector em Portugal, ao serem produtores e transformadores de insectos.
A ECO2Blocks, de Alan Cunha e Vitor Sanches, da Covilhã, que transforma resíduos da industria em produtos de alta qualidade para a construção civil, absorvendo CO2 no seu processo produtivo, foi a segunda ideia vencedora do concurso e para além do direito à instalação gratuita na Incubadora Famalicão Made In arrecadou um prémio monetário no valor de mil e quinhentos euros.
A fechar o pódio, a White Stamp, de Pedro Santos e Marta Rito, do Porto, com uma proposta de programa colaborativo que conecta o mercado de 1.ª mão com o de 2.ª mão, permitindo que retalhistas de moda premium incentivem os seus consumidores digitais a trocar artigos de moda usados por novos. A White Stamp conquistou igualmente o direito a instalar-se na Incubadora Famalicão Made IN e recebeu um prémio monetário de mil euros.
Foram 15 as ideias de negócio que passaram à 2.ª fase do concurso, sendo que apenas cinco foram  provenientes de Vila Nova de Famalicão. Os objectivos do concurso passaram por atrair novas ideias de negócio e promover novas soluções e serviços para a industria, a cidade e os cidadãos. Os vencedores foram conhecidos no dia 11 depois de uma apresentação individual dos participantes ao júri.
 O vereador da Economia e Empreendedorismo, Augusto Lima, traçou “um balanço muito positivo desta primeira edição do Jump, com mais de 75% de participantes fora do concelho, permitindo atrair novos projectos para o território que era um dos objectivos do concurso”. O responsável enalteceu a qualidade dos concorrente com projectos “muito acima da média, de enorme qualidade, e com muita possibilidade de desenvolvi-mento”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.