Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Projecto ‘Synergia na Floresta’sensibiliza um milhar de crianças
Executivo municipal de Barcelos aprovou mais de 650 mil euros em subsídios

Projecto ‘Synergia na Floresta’sensibiliza um milhar de crianças

Externato Paulo VI abriu as portas para explicar projecto diferenciador

Braga

2017-10-31 às 06h00

Marta Amaral Caldeira

‘Synergia na Floresta’ é o projecto que vai sensibilizar o público infantil para a importância da floresta, para a sua preservação e também para a prevenção de incêndios. Esta grande campanha de sensibilização vai iniciar já no próximo dia 8 de Novembro, no Jardim-Escola João de Deus pela ‘mão’ dos jovens voluntários da Associação Juvenil Synergia e vai chegar, nesta primeira fase, a mais de um milhar de crianças de bracarenses.

‘Synergia na Floresta’ é o projecto que vai sensibilizar o público infantil para a importância da floresta, para a sua preservação e também para a prevenção de incêndios. Esta grande campanha de sensibilização vai iniciar já no próximo dia 8 de Novembro, no Jardim-Escola João de Deus pela ‘mão’ dos jovens voluntários da Associação Juvenil Synergia e vai chegar, nesta primeira fase, a mais de um milhar de crianças de bracarenses.

O projecto foi ontem apresentado publicamente no emblemático Monte do Picoto, reunindo as várias entidades que o integram desde a Synergia, Câmara Municipal de Braga, através do pelouro do Ambiente, Instituto Português do Desporto e da Juventude, jovens voluntários até ao ABC.
“Aproximar a comunidade escolar à floresta, recuperando, por um lado, a ligação fundamental ao espaço natural por excelência e, por outro, reavivando o respeito pelas florestas - tão necessário ao equilíbrio do ambiente global” são os principais objectivos que norteiam o projecto ‘Synergia na Floresta’, ontem destacados na apresentação do mesmo.

Ricardo Sousa, presidente da Associação Synergia, recordou que este projecto foi pensado e iniciado antes do último Verão e muito antes do flagelo dos incêndios que recentemente fustigou Braga também.
“Nós entendemos que é preciso chegar à população mais jovem, esta é sem dúvida a melhor estratégia: começar por sensibilizar as nossas crianças e, por arrasto, os seus pais e familiares”, sublinhou Ricardo Sousa.

Frisou, ainda, que “o associativismo juvenil tem obrigação de colaborar no desenvolvimento da cidade e do concelho e ser o ‘braço direito’ no trabalho de sensibilização e informação sobre a importância da floresta e da prevenção de incêndios florestais”.

Câmara vai ‘agarrar’ todas as candidaturas

Altino Bessa, vereador do Ambiente e do Desenvolvimento Rural da Câmara Municipal de Braga, garantiu ontem que a autarquia “vai apresentar todas as candidaturas que forem possíveis” para a ajuda da recuperação dos 1200 hectares de malha verde concelhia consumida nos incêndios registados muito recentemente.

Um “flagelo” que o vereador do Ambiente Altino Bessa quer ver suplantado. “Estamos à espera que o governo lance o anúncio dos 15 milhões de euros que vai disponibilizar para recuperação de áreas ardidas e o Município de Braga estará atento”, indicou o responsável, mas neste momento está a fazer já esse levantamento da área ardida para apresentar uma candidatura a esse fundo.

O Município de Braga acabou também de enviar à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) um documento com informação relativamente às questões de protecção e preservação das linhas de água e aos riscos que podem ocorrer com as primeiras chuvadas. “Estamos a trabalhar com as entidades nacionais e regionais à espera que essas verbas possam ser disponibilizadas”, garantiu Altino Bessa.

Note-se que em Braga, os incêndios registados no fim-de-semana de 14 e 15 de Outubro, deixaram um rasto de uma vasta área ardida, mas também elevados prejuízos materiais, que incluíram a destruição de uma habitação em Fraião e a destruição de um armazém onde funcionavam duas empresas no Parque Industrial do Barral, em Nogueira.
As freguesias bracarenses que mais sofreram com os fogos foram precisamente Morreira, Esporões, Trandeiras, S. Paio d’Arcos, Nogueira, Lamaçães, Fraião e alcançou ainda a freguesia de Nogueiró.

No mesmo fim-de-semana, o concelho de Braga sofreu com um outro incêndio, na zona Este do concelho, tendo também ali consumido uma grande área verde e fustigado várias localidades, entre as quais a freguesia d’Este e Santa Lucrécia de Algeriz. As chamas devastaram ali aproximadamente 200 hectares.

O vereador do Ambiente diz que o levantamento desta área que ardeu na zona Este foi dado a conhecer à APA, tendo em conta o trabalho de recuperação e protecção que é necessário fazer em relação às linhas de água.
“Além do apoio técnico que é necessário e que até é obrigatório, estamos a trabalhar para que possam ser disponibilizadas verbas também”, apontou Altino Bessa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.