Correio do Minho

Braga, terça-feira

Projecto ASA junta empreendedores para partilha de experiências
“A Universidade do Minho gosta de alunos pró-activos e criativos”

Projecto ASA junta empreendedores para partilha de experiências

Nove detidos por conduzirem sob o efeito do álcool em Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Braga

Cávado

2018-09-10 às 06h00

Marta Amaral Caldeira

Concelho povoense está a conseguir captar a instalação de empresas que procuram a mudança para um contexto rural. O projecto ASA - Ave Social Angels tem sido um apoio para essa mudança.

Há empresas que estão a deixar as grandes cidades para levar os seus projectos empresariais para ambientes rurais. Uns por motivos ambientais, outros por motivos económicos ou simplesmente motivados por um “contexto” mais favorável para dar início ao seu negócio. A Póvoa de Lanhoso tem sido um concelho apetecível para muitas empresas que mudam para o contexto rural e na passada sexta-feira empresários instalados e novos empreendedores ou recém-chegados encontraram-se para partilhar experiências e contactos.

Em registo informal, o encontro entre empresários e empreendedores realizou-se nas instalações da Utopia/Plako.net - uma empresa que saiu de Braga para se instalar numa exploração agrícola da Póvoa de Lanhoso.
“Somos uma empresa tecnológica (de desenvolvimento de software para a Internet), que acabou por se tornar também num viveiro de plantas aromáticas de forma a aproveitar também o potencial do próprio espaço que adquiriu para edificar a sua sede em Águas Santas, Póvoa de Lanhoso”, indicou o empresário Moisés Campos, exibindo o edifício-sede da Plako - uma construção sustentada e eficiente do ponto de vista energético. “Aqui, o nosso projecto tornou-se ‘Utopia’”, disse, garan- tindo que a empresa continua a crescer e bem.

Promovido no âmbito do Núcleo da Comunidade Empreendedora da Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho - que integra o ASA - AVE Social Angels que tem como principal objectivo promover o networking entre empresas instaladas e recém-criadas e ajudar nas dificuldades iniciais na fase de arranque.
Marta Coutada, coordenadora do projecto ASA, que tem como missão a promoção da empregabilidade jovem através de comunidades empreendedoras, explicou que o Núcleo da Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho é apenas um. Existem mais três comunidades empreendedoras: o Núcleo de Guimarães e Vizela, o Núcleo de Fafe, Mondim de Basto e Cabeceiras de Basto e ainda o Núcleo de Vila Nova de Famalicão - abrangendo toda a área do Ave.

“Cada comunidade é, no fundo, um grupo de empresários e empreendedores que se junta, troca ideias e discute problemas, mais experientes ajudam os menos experientes”, referiu. “O objectivo é fazer crescer negócios e criar emprego para jovens”.
Gabriela Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, que foi parceira na criação deste projecto-piloto localmente, conjuntamente com a Sol do Ave, destaca o sucesso deste projecto. “Como o projecto-piloto correu bem fez-se uma candidatura e neste momento está replicar-se o projecto a todos os municípios que fazem parte da CIM do Ave”, indicou a autarca, que garantiu que tem servido de “impulso” à criação de pequenos negócios.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.