Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Projecto agrícola da Valoriza premiado
Ponte de Lima aprova Requalificação do Centro Cívico de Vilar das Almas

Projecto agrícola da Valoriza premiado

Município de Viana do Castelo investe 550 mil euros em medidas de apoio à economia no âmbito da COVID-19

Projecto agrícola da Valoriza premiado

Cávado

2020-12-02 às 06h00

Redacção Redacção

Verba atribuída pelo júri do Prémio BPI ‘La Caixa’ Rural 2020 vai ser aplicado na criação de uma pequena produção agrícola. Projecto ‘Ruralidades - Semear para Colher’ visa a integração socioprofissional e o emprego protegido dos utentes da associação.

O projecto ‘Ruralidades - Semear para Colher’, desenvolvido pela associação Valoriza foi distinguido pelo júri do Prémio BPI ‘La Caixa’ Rural 2020.
A projecto da associação amarense ficou entre os 20 premiados com o financiamento máximo previsto, de 60 mil euros.
A autora do projecto e directora de serviços da Valoriza, Elisabete Teixeira, destaca que a verba do prémio será a “alavanca necessária para lançarmos o projecto a partir de Janeiro, com a instalação da unidade agrícola, que ficará a uns 400 metros de distância do nosso CAO (Centro de Actividades Ocupacionais), em Amares”.

O projecto conta com a participação de oito utentes do CAO e consiste numa pequena produção agrícola. Os utentes destacados serão tecnicamente orientados, de maneira a que, “pelo menos três deles, sejam integrados ao nível socioprofissional, ao abrigo de actividades socialmente úteis ou, quem sabe, das medidas de emprego protegido”, revela a responsável.
A unidade agrícola vai trabalhar com os princípios da produção biológica e, revela a associação Valoriza, “tem na ATAHCA (Associação das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave), um parceiro fundamental que se envolveu na candidatura, desde o início, para além de que, com o seu projecto nacional PROVE, apoiará o escoamento dos produtos que resultarem deste trabalho”.

A direcção da Valoriza realça que esta distinção “é mais uma prova da qualidade e inovação que são marca distintiva dos nossos serviços”.
Este é já o terceiro prémio nacional da história da associação,
depois dos atribuídos pela Fundação EDP, em 2013, ao projecto ‘Luz de Presença’ e pela Fundação Calouste Gulbenkian, já este ano, ao ‘R@ízes.’

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho