Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Programa Bairro Feliz pretende ter “impacto diferenciador”
Iniciativa ‘Braga Plogging’ é para continuar

Programa Bairro Feliz pretende ter “impacto diferenciador”

Adoptado por alguns, o rio que nasce e percorre a cidade tem que ser de todos

Programa Bairro Feliz pretende ter “impacto diferenciador”

Economia

2019-05-24 às 11h36

Redacção Redacção

A partir de hoje, o Pingo Doce organiza a primeira edição do Programa Bairro Feliz em 49 lojas de 10 concelhos dos distritos de Braga e do Porto. Em cada loja será premiada uma causa até mil euros.

“Fortalecer o vínculo com os grupos locais e promover uma relação mais próxima e activa com o bairro e os vizinhos de cada loja da marca, bem como contribuir para a felicidade de cada povoação” é o que o Pingo Doce pretende com o Programa Bairro Feliz, que foi ontem apresentado na loja do Pingo Doce do Braga Parque. Organizado pela primeira vez, o Programa Bairro Feliz vai avançar em 49 lojas de 10 concelhos dos distritos de Braga e do Porto, informou ontem o director de operações da região Norte, Domingos Sousa, revelando que “o projecto se vai realizar de seis em seis meses, pretendendo-se alargar a todo o país o mais rápido possível”.
O Programa Bairro Feliz insere-se no âmbito da “política de responsabilidade social do Pingo Doce, reforçando o pilar do envolvimento com as comunidades”, defendeu aquele responsável, destacando o slogan da campanha “se um bom vizinho ajuda a fazer um bairro feliz, ter um Pingo Doce no bairro também”.

O novo Programa do Pingo Doce, continuou Domingos Sousa, “apoia causas que fazem cada bairro mais feliz e apoia aquilo que cada bairro precisa”. Nesse sentido, cada loja Pingo Doce terá mil euros de seis em seis meses para apoiar uma causa local e é o bairro que decide para que causa irá o donativo. “O bairro sabe o que faz falta, o bairro participa, vota, escolhe, decide e no final... é mais feliz”, assegurou.
É a comunidade local que sabe aquilo que o seu bairro precisa. Por isso, no Programa Bairro Feliz do Pingo Doce, são os vizinhos (grupos de cinco pessoas) e as entidades locais que inscrevem causas que valorizem o seu bairro em áreas como a Saúde e Bem-estar, Desporto, Apoio Social e Cidadania, Cultura, Património e Lazer, Educação, Ambiente.

Entretanto, os vizinhos e as entidades locais podem participar, até 23 de Junho, podendo inscrever a causa para melhorar o bairro em pingodoce.pt/bairrofeliz. Todas as causas devem cumprir o regulamento e serão avaliados por um júri que irá seleccionar duas causas para votação em loja. As causas podem ser, exemplificou o director de Operações da região Norte, “mais um baloiço para o parque infantil, mesas novas para o refeitório do Centro de Dia, uma aparelhagem e sistema de karaoke para o Lar de idosos, o aluguer de uma carrinha para levar as crianças à praia, casotas novas para o canil municipal, o lanche para o arraial do bairro ou novos instrumentos musicais para a banda da freguesia”.

O júri será composto, maioritariamente, por elementos externos ao Pingo Doce da região Norte do país, entre eles representantes de instituições locais e organismos sociais. Do Pingo Doce, estarão representados os responsáveis de zona das lojas.
A fase seguinte é a votação em loja, que decorre de 6 a 26 de Julho. O bairro vota e decide que causa local o Pingo Doce vai apoiar. Cada loja terá? em votação duas causas relativas ao seu bairro. Por cada 10 euros em compras no Pingo Doce, o cliente recebe ‘uma Moeda Bairro Feliz’ com a qual pode votar na sua causa preferida, colocando-a nos mealheiros que se vão encontrar a? saída de cada loja Pingo Doce.

A divulgação de cada projecto vencedor está marcada para o dia 27 de Julho. Os mealheiros sera?o pesados, no mesmo dia, a? mesma hora, em todas as lojas Pingo Doce, para apurar a causa vencedora em cada loja. O donativo será entregue de imediato pelo responsável de cada loja, no valor correspondente ao orçamento entregue na inscric?a?o, ate? ao valor ma?ximo de mil euros.
Também presente na apresentação do Programa Bairro Feliz, na loja do Pingo Doce do Braga Parque, esteve Cristina Palhares, em representação da Câmara Municipal de Braga, que enalteceu este projecto, porque vai ajudar a criar algo que não existe em Braga. “Este projecto vai ao encontro dos nossos projectos ‘(Re) escrever o nosso bairro’ e Fazer crescer’, ajudando a criar essa identidade positiva de bairro”, referiu.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.