Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
“Produto que é Nosso” impulsiona inovação e abre redes de comercialização de produtores famalicenses
Bom Jesus celebra momento glorioso da classificação a Património Mundial

“Produto que é Nosso” impulsiona inovação e abre redes de comercialização de produtores famalicenses

Produtos da terra e velharias animam Praça D. Gualdim Pais

“Produto que é Nosso” impulsiona inovação e abre redes de comercialização de produtores famalicenses

Vale do Ave

2020-06-30 às 18h17

Redacção Redacção

Selo de reconhecimento valoriza produtos e produtores de Famalicão

A empreendedora Arminda Sá criou o Gin Vermuiz, um gin premium inspirado nas memórias do minho. A Susana Azevedo lançou a marca SIN Bombons, chocolates artesanais de alta qualidade fabricados com puro chocolate de origem. A Minikiwi da Antonieta Martins é uma plantação de baby kiwi, o fruto sensação que tem cinco vezes mais vitamina C do que a laranja, duas vezes mais vitamina E do que a banana e a mesma quantidade de vitamina B6. Todos estes projetos têm em comum o facto de terem nascido em Vila Nova de Famalicão e o de ostentarem orgulhosamente o selo Famalicão Made IN – Produto que é Nosso, com que o município distingue, divulga e valoriza os projetos de produtores locais.

Estes são 3 exemplos dos 65 produtos de 27 produtores locais que a Câmara Municipal distinguiu ontem, 29 de junho, com este selo de diferenciação que valoriza e promove a produção famalicense de produtores e empreendedores locais e os coloca nas vitrines do comércio local e inclusivamente nas grandes superfícies existentes no concelho, mediante protocolos celebrados pela Câmara Municipal.

O projeto está inclusivamente a criar sinergias entre os próprios produtores e a entrelaçar uma comunidade que pode evoluir para uma incubadora de novos produtos locais. Por exemplo, a Arminda Sá já criou um sorvete de Gin a partir dos kiwis da Antonieta Martins, enquanto a Susana Azevedo produziu um bombom de Gin Vermuiz. São exemplos de um novo ecossistema empreendedor que este projeto está a fomentar e que terá no futuro Mercado Municipal de Vila Nova de Famalicão a sua grande âncora.

“Criar condições para que que os produtores de Famalicão possam chegar mais longe através da capacitação do processo produtivo mas também através da abertura de novos mercados que lhes permita rentabilizar e valorizar mais os produtos”, referiu o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

O projeto tem por isso associada as dimensões da capacitação, da promoção e da comercialização. “Pretende-se afirmar os produtos de Famalicão pela sua qualidade e diferenciação.”

Integram-se neste programa, os produtos do setor agroalimentar, agrícolas e transformados, que se enquadram na tipologia de produtos e nos critérios de avaliação e reconhecimento estabelecidos. Os objetivos não são indiferentes à situação de pandemia em que vivemos, pretendendo contribuir também para a mitigação das consequências económicas da atual crise de saúde pública.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho