Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Prado, “catedral” da maratona em canoagem
Reforço de medidas nos lares é urgente

Prado, “catedral” da maratona em canoagem

Chegaram a Vizela 40 mil máscaras vindas da China

Prado, “catedral” da maratona em canoagem

Desporto

2020-02-26 às 09h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Horácio Lima, o presidente do Clube Náutico de Prado — colectividade a celebrar o 38.º aniversário —, foi ao Fórum Desporto da Antena Minho/jornal Correio do Minho. Neste ano, em que acolhe dias 12 e 13 de Junho o ‘nacional’ de maratonas, o dirigente assume objectivos de manter na organização a qualidade que lhe vale reconhecimentos internacionais e, em casa, revalidar o título de campeão nacional.

“Estes 38 anos acabam por ser uma fonte de inspiração para toda a organização do clube”, diz, a propósito do aniversário que a colectividade está a celebrar.
“Depois de cinco anos de intensas competições na Praia Fluvial do Faial, Campeonato da Europa,Taça do Mundo e Campeonato do Mundo, voltamos a organizar uma competição nacional em 2020. Pretendemos que seja exemplo de organização. Prado é considerada a catedral da maratona”, comenta.
Reeleito para terceiro mandato, Horácio Lima acrescenta que “não é fácil encontrar por esse mundo fora, onde se têm realizado competições internacionais de maratona, um espaço natural como o que existe em Prado. Por si só, um motivo que nos leva a ter mais empenho”.
“Este ano candidatámo-nos ao Nacional de Maratona, que nos foi concedido pela Federação, e nós esperamos estar à altura das anteriores organizações que já tivemos à nossa responsabilidade”, prossegue.
Questionado se, sob o ponto de vista competitivo, defender o título em casa é um estímulo acrescido, e tendo em conta que em 2019 o CN Prado foi a nível nacional o clube que ganhou mais medalhas (setenta e uma), assume que defender este título de campeão nacional é a sua “responsabilidade maior”.
O ser em casa, adianta ainda, “até pode ser uma pressão para que alguns dos atletas venham a acusar, por estarem a competir em casa, no local onde treinam todos os dias”.
“Às vezes é mais fácil fazer a competição fora”, observa. Mas garante logo que a equipa vai “preparar-se atempadamente a todos os níveis”. “O treinador é muito experiente na especialidade, e portanto, saberá passar todas as informações necessárias para que nós possamos revalidar o título”, sublinha.
Numa abordagem às condições materiais com que o clube conta, Horácio Lima salienta que tem vindo a crescer o número de atletas, a rondar os 100/150 por época.
Isto faz com que, em termos de infra-estruturas o dirigente tenha em conta que o ginásio “já tem de ser feito de forma rotativa” e que mesmo a disponibilidade de espaço para armazenamento de embarcações no hangar, “temos já dificuldade para colocar todas as embarcações”.
“Temos, paulatinamente, vindo a fazer uma renovação das embarcações”, revela.
“Gostávamos de poder substituir todas, mas isso neste momento é impossível”, explica, frisando que a operação obriga a um investimento “bastante caro” e lembrando que “todos os anos nós temos feito a renovação de diversas embarcações”.
Expandir o hangar, reconhece, “é uma necessidade premente, quase obrigatória; precisamos de alargar o hangar, para permitir crescer ainda mais; sem apoio da autarquia é impossível, pois estamos sempre a falar de 100 mil euros”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho