Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Potenciar resíduos como matéria-prima
"Paisagens Inúteis" feitas de som, gesto, silêncio e contemplação são apresentadas a 22 de junho no CCVF

Potenciar resíduos como matéria-prima

SC Braga confirmou bilhete para os quartos-de-final

Potenciar resíduos como matéria-prima

Cávado

2024-05-22 às 06h00

Fábio Moreira Fábio Moreira

Município de Amares foi o último concelho a aderir ao projecto ‘Agora Sim Nada se Perde’, uma inciativa que tem como seu grande objectivo potenciar os biorresíduos enquanto matéria-prima e que visa focar a sua acção junto da restauração amarense.

Citação

Depois dos concelhos de Terras de Bouro e Vila Verde, foi a vez de Amares se aliar ao projecto ‘Agora Sim Nada se Perde’, uma iniciativa confinanciada pelo Fundo Ambiental que visa a redução dos resíduos inderenciados e apelas à reciclagem de bioressíduos. A apresentação deste projecto decorreu, ontem, na Praça da Câmara Municipal de Amares, contando com as presenças de Vítor Ribeiro, vereador do Ambiente do Município de Amares, e Joana Costa, gestor do projecto.
O ‘Agora Sim Nada se Perde’ é um projecto que procura consolidar a recolha selectiva e transformação de biorresíduos, desafiando várias instituições e empresas do sector da restauração a aliarem-se a este projecto. E, segundo o vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Amares, a adesão da restauração a este projecto será fulcral para o sucesso da mesma.
“O resultado positivo deste projecto está dependente da adesão dos restaurantes, das escolas e das IPSS. Por muito grande que seja o contributo da população para o projecto, nós sabemos que uma refeição preparada em casa não produz tantos biorresíduos como centenas de refeições preparadas ao almoço e ao jantar nesses espaços. A nossa estratégia inicial passa por ajudar aqueles que nos podem dar resultados positivos, ou seja, os gran- des produtores. Queremos, com isto, fazer decrescer diminuir o que vai para aterro. Numa próxima fase, iremos implementar também o modelo de porta a porta, para conseguir fazer chegar esta iniciativa às pessoas de Amares”, começou por salientar o vereador do Ambiente do concelho amarense.
Este projecto visa potenciar os biorresíduos enquanto matéria-prima para a produção de fertilizante natural e energia. Para isso, serão implementados no con- celho vários contentores de 800 litros para resíduos orgânicos e serão distribuídos pelos aderentes sacos de lixo de cor verde para colocação desses resíduos (sendo que os aderentes poderão adqurir mais contentores e mais sacos junto do Município de Amares, sem qualquer custo).
Vítor Ribeiro também salientou que é da maior importância conseguir identificar a origem dos biorresíduos que serão recolhidos pela Braval, para que os seus produtores possam recolher os efeitos positivos de aderirem a este projecto.
“Amares tem uma taxa de resíduos indeferenciados idêntica à dos outros concelhos, mas é muito importante conseguirmos reduzir esses valores, para também aliviarmos o peso que isso acarreta sobre a nossa população. Nesse sentido, será muito importante conseguir identificar a origem dos resíduos orgânicos. Estamos a trabalhar junto da Braval para encontrar uma maneira de identificarmos a origem dos resíduos: de que concelho vêm e de que produtor. É muito importante conseguirmos entendermos essa origem para termos um melhor entendimento sobre o impacto que a iniciativa pode ter sobre a nossa população”, explicou Vítor Ribeiro.
Já Joana Costa, gestora do projecto, salientou que a decisão de Amares de iniciar esta iniciativa pelo apelo a restaurantes, escolas e IPSS prende-se com o facto destes serem os grandes produtores de resíduos orgânicos.
“Em todos os municípios aderentes, este projecto iniciou-se com uma fase piloto. O Município de Amares decidiu que o seu caminho seria pelos grandes produtores e que seria por aí teriam mais sucesso, pois são eles que produzem a maior parte dos resíduos orgânicos. Numa fase posterior, este projecto será alargado a todo o município. É importante avançar com este projecto, porque a recolha de resíduos orgânicos terá de ser implementada em todo o país”, explicou Joana Costa.
A gestora do projecto também fez questão de salientar que toda a informação sobre este projecto estará disponível junto dos serviços municipais.
“A sensibilização de porta a porta é uma excelente maneira de explicar às pessoas no que consiste este projecto. Para além disso, esta iniciativa também será divulgada nas redes sociais do Município de Amares e toda a informação estará disponível nos balcões municipais”, frisou Joana Costa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho