Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Portugal tem 600 mil voluntários
Irradicação de espécies invasoras do rio Lima custa 650 mil euros

Portugal tem 600 mil voluntários

Câmara de Barcelos investe 500 mil euros no Orçamento Participativo

Portugal tem 600 mil voluntários

Braga

2012-09-23 às 09h19

José Paulo Silva José Paulo Silva

Um estudo ontem apresentado conclui que a crise económica e social contribui para o aumento do voluntariado em Portugal

Cerca de 20 por cento da população portuguesa com idade superior a 16 anos realiza, de forma permanente ou pontual, acções de voluntariado. A informação foi revelada ontem, em Braga, por Rogério Roque Amaro, autor de um estudo de caracterização do voluntariado em Portugal.
De acordo com aquele especialista, convidado para intervir no Seminário de Dessiminação do Voluntariado, promovido pela delegação da Cruz Vermelha Portuguesa no âmbito da Capital Europeia da Juventude, a crise económica e social é um dos factores que favorece a opção pelo voluntariado, a par da valorização social, política e científica daquela prática.

Roque Amaro, que realizou o estudo sobre o voluntariado a pedido da comissão do Ano Europeu do Voluntariado 2011, referiu que, em 2008, a percentagem da população adulta envolvida em acções de voluntariado era de de 14 por cento. Segundo o estudo de caracterização realizado em 2011, são cerca de 600 mil os portugueses que exercem o voluntariado enquadrados nas mais diversas organizações. De acordo com aquele economista, “a crise dos últimos tempo”, nomeadamente o aumento do desemprego, tem contribuído para o incremento do voluntariado.
O aumento da procura de apoios sociais é acompanhado pelo aumento da oferta dos mesmos, constatou no seminário organizado pela Juventude da Cruz Vermelha de Gaia.

Tentação de substituir
postos de trabalho
Elza Chambel, presidente do Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado, alertou, no mesmo seminário, que “o voluntariado não pode, sobretudo numa época de crise, substituir postos de trabalho”.
De acordo com a mulher que coordenou a equipa nacional do Ano Europeu do Voluntariado, esta “é uma tentação muito grande” que deve ser contrariada. Roque Amaro chamou a atenção para as “formas incorrectas de voluntariado empresarial”, afirmando que este deve ser sempre cumprido fora do horário de trabalho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.