Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Portal das matrículas continua bloqueado e deixa pais à beira de um ataque de nervos
Famalicão: Campanha 'Produto que é nosso' prolongada até 23 de Agosto

Portal das matrículas continua bloqueado e deixa pais à beira de um ataque de nervos

SC Braga: Trio da formação com contrato profissional

Portal das matrículas continua bloqueado e deixa pais à beira de um ataque de nervos

Braga

2020-07-09 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

Alunos que mudam de ciclo ou de escola terão de efectuar matrícula digital, mas, durante o dia de ontem, a plataforma continuava inacessível. Há directores a admitir que o processo poderá transitar para as escolas, à semelhança do ano passado.

A medida anunciada pelo Ministério da Educação de que a renovação das matrículas será feita de forma automática para a maioria dos alunos permitiu aos pais e às escolas respirarem de alívio mas... por pouco tempo.
Ao que o CM conseguiu apurar, no dia de ontem, o portal continuava bloqueado, impedindo que os pais dos alunos que não foram dispensados de recorrer à plataforma - os que mudam de ciclo ou de escola - conseguissem efectivar a inscrição.
“O sistema mantém-se inoperante”, revelou ao CM João Dantas, director do Agrupamento de Escolas D. Maria II, adiantando que foram muitos os pais que continuaram a manifestar o seu protesto pelo sucedido.
Nos últimos dias pais e escolas têm encetado uma verdadeira luta contra o tempo para efectivar as matrículas dos alunos, mesmo depois do prazo ter sido alargado.
A sobrecarga a que o portal foi sujeito parece ser a explicação para o facto, mas a tutela justificou a opção pela renovação automática com “ataques informáticos de elevada complexidade”.
O certo é que durante a última semana foram muitos os pais e encarregados de educação que se levantaram de madrugada para tentarem fazer a matrícula dos seus educandos, mesmo assim sem sucesso.
À porta das escolas as filas aglomeraram-se com os pais a pedirem ajuda para acederem à plataforma.
“Aconselhávamos a irem embora porque também não conseguíamos aceder ao portal”, confirma João Dantas que se mostra “muito preocupado” com a situação que vai afectar sobremaneira o trabalho que as escolas estão a desenvolver na preparação do novo ano lectivo. “Só podemos fazer as turmas através da extração dos alunos que estão inscritos na plataforma e validar os outros, tal como fazíamos nos anos anteriores. Neste momento o portal está inacessível. Não sei se vai evoluir, mas a realidade é que o problema hoje (ontem) mantém-se”, diz o dirigente escolar, admitindo uma sobrecarga nos serviços administrativos das escolas neste Verão e até o possível atraso na colocação dos professores face ao ano passado “Pela primeira vez tivemos a colocação dos professores mais cedo, em meados de Agosto, mas este ano penso que a data poderá estar já comprometida”, diz.
O director do agrupamento de Escolas D. Maria II não se mostra confiante na justificação dada pelo ministério sobre a inoperância do portal. “O sistema já vinha mal. Entrou num caos e hoje [ontem] continua igual. Ainda não conseguiram desbloquear a situação”, continua João Dantas, considerando que o mais provável é que o prazo de inscrição seja novamente alargado, com forte possibilidade do processo transitar novamente para as escolas “se não houver solução a curto prazo”.
Hortense Santos, directora do Agrupamento Carlos Amarante diz não que se pode descartar essa hipótese, embora “não tenhamos qualquer informação quanto a isso porque significaria recorrer novamente ao papel. Não estava previsto”.
Caso venha a concretizar-se, de acordo com a dirigente, a medida vai gerar um “atraso significativo” nas escolas que recebem habitualmente novos alunos, como é o caso do agrupamento Carlos Amarante. “Recebemos muitos alunos de outras escolas e temos necessidade de ter esses dados para avançar com a formação das turmas e preparar o ano lectivo”, diz Hortense Santos que se mostra apreensiva com a situação
A dirigente escolar confirma também que a últimas semanas ficou marcada “por muitos telefonemas, muitas pessoas aborrecidas por não conseguirem aceder ao portal e não saberem o que fazer”.
O director do Agrupamento Alberto Sampaio confirma também que tem sido “extremamente difícil” trabalhar com o portal das matrículas. O responsável avança, no entanto, que o agrupamento tinha já adoptado procedimentos que acautelaram as renovações, através do levantamento prévio da opções dos alunos internos.
“Conseguimos trabalhar na renovação da matrículas mesmo não estando o portal a funcionar, antecipando a decisão da tutela”, diz João Andrade, argumentando que a dificuldades prendem-se agora com os novos alunos.
“Temos a expectativa que o prazo de inscrição seja novamente alargado”, diz, não acreditando que o processo volte ao preechimento de papéis. “Penso que continuará digital”, conclui.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho