Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
“Por Braga conquistámos o Imperador”
Bês Guerreiros autoritários na montanha-russa de S. João Ver

“Por Braga conquistámos o Imperador”

Mart'Nália trouxe o samba a Ponte da Barca

“Por Braga conquistámos o Imperador”

Braga

2021-10-22 às 09h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

Fundação Bühler-Brockhaus doou cerca de 300 obras da antiguidade clássica ao Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa. Casal alemão, residente em Portugal, encontrou em Braga o espaço ideal e com todas as condições para exibir a sua colecção.

“O Imperador foi conquistado por nós. Por Braga”. Frase simples, mas carregada de simbolismo e que demonstra de forma bem clara a paixão que o casal Marion e Hans-Peter Bühler- -Brockhaus construíram pela augusta cidade de Braga, que agora acolhe a sua magnânima colecção de obras da antiguidade clássica.
A arqueologia sempre atraiu o casal alemão que iniciou a sua colecção própria em 1959, quando se conheceu em Estugarda. Daí para a frente, uma vida dedicada à arte, à cultura, à protecção daquilo que é o passado. E uma vida dedicada à generosidade e à vontade de transmitir aos outros os seus conhecimentos e permitir-lhes que possam ter vislumbres de como são as nossas verdadeiras origens.
O Museu D. Diogo de Sousa acolhe agora esta exposição oferecida pelos Bühler-Brockhaus, mas a generosidade dos alemães não se ficou por aqui, já que o casal financiou também, com cerca de 420 mil euros, as obras de requalificação de um novo espaço expositivo totalmente dedicado à colecção, mas também obras de requalificação do imóvel, nomeadamente no que concerne à pintura e limpeza de todo o exterior, melhoria da acessibilidade, segurança e iluminação.
Ontem, num repleto auditório deste agora mais ‘recheado’ museu, estiveram presentes vários bracarenses que quiseram ver pela primeira vez as belíssimas obras agora disponibilizadas. Entre os presentes na inauguração da obra estiveram a directora do Museu D. Diogo de Sousa, Isabel Silva, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, Laura Castro, Directora Regional de Cultura Norte, e da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, para além de outras autoridades civis e autarcas.
O sentimento era unânime entre todos os presentes: agradecimento. Todos se mostraram muito satisfeitos por Braga poder acolher esta colecção e, acima de tudo, agradecidos por esta grandiosa doação que Marion e Hans-Peter Bühler Brockhaus decidiram fazer à cidade.
Marion, no seu discurso, para além de frisar que o imperador Augusto foi conquistado, confessou que o principal motivo que levou o casal a tomar a opção pelo Museu D. Diogo de Sousa para acolher esta sua colecção se prendeu com o facto de se tratar de um museus centenário, que abrange os períodos desde o Paleolítico até à Idade Média, com especial relevo para o espólio proveniente da cidade romana da Bracara Augusta, fundada pelo imperador Augusto.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho