Correio do Minho

Braga, terça-feira

Piscina de Ferreiros presta “excelente serviço público”
Mostra de Artesanato evidenciou Barcelos como Cidade Criativa da UNESCO

Piscina de Ferreiros presta “excelente serviço público”

Uma dezena de artesãos estreiam-se na Feira de Artesanato e Gastronomia de Famalicão

Braga

2018-07-20 às 06h00

Patrícia Sousa

Inaugurada em 2001, a Piscina Municipal de Ferreiros recebe diariamente cerca de 220 de crianças das instituições das freguesias de Ferreiros e Gondizalves e ainda do programa municipal ‘Férias de Verão’.

Inaugurada em Junho de 2001, a Piscina Municipal de Ferreiros “é das melhores do concelho”, assegura o presidente da União de Freguesias de Ferreiros e Gondizalves. E argumentos não faltam a João Costa para garantir que este equipamento presta “um excelente serviço público”: “para além de recebermos centenas de crianças das instituições das freguesias de forma gratuita, temos seguramente a melhor água da piscina, com um funcionário a zelar este equipamento diariamente, um espaço verde agradável e seguro”.

Aberta todos os dias, a piscina de Ferreiros é frequentada por centenas de crianças durante a semana, vindas de várias instituições. Ao fim-de-semana, este equipamento é o local privilegiado para famílias ali passarem o tempo. “Durante o mês de Julho recebemos em média 220 crianças todos os dias que não pagam a entrada, porque integram instituições das freguesias de Ferreiros e Gondizalves”, justificou o presidente.
Zélia Silva, coordenadora do Centro de Estudos Mundo do Saber (pólo de Gualtar), destacou a importância social que esta medida tem para a instituição e para as famílias. “É uma mais-valia quer para o centro de estudos quer para as famílias, porque acaba por ficar menos penoso e dá outra estabilidade e garantia aos mais novos”, confidenciou Zélia Silva, que em média acompanha 25 crianças dois ou três dias por semana à piscina. “Passamos cá o dia e trazemos o almoço”, contou aquela responsável, evidenciando a qualidade da água e do espaço envolvente. “Assim, as crianças não ficam em casa. Aqui aprendem sempre e convivem com os amigos. Temos um menino que tinha medo de água e agora já gosta de estar na piscina”, atirou.

Do Centro Social e Cultural de Ferreiros, a auxiliar de educação, Lurdes Araújo, também enalteceu a posição da união de freguesias ao permitir a entrada gratuita de tantas crianças. “Temos sempre cerca de 100 crianças das três escolas da freguesia e do centro de estudos”, contou Lurdes Araújo, lembrando que “férias de Verão sem piscina não são férias de Verão”.
José Pedro Rolim é o nadador-salvador de serviço. “Não é uma tarefa fácil, mas é gratificante”, assegurou José Pedro, assegurando que a aposta passa pela prevenção. “Temos muitas crianças e jovens, que têm comportamentos inerentes à idade e tentamos evitar acidentes. O resultado dessa prevenção reflecte-se no ambiente tranquilo da piscina e isso é um bom indicador para as famílias também a frequentarem”, justificou.
José Pedro Rolim destacou ainda os espaços verdes e a qualidade da água. “Temos a melhor água do concelho”, garantiu o nadador-salvador, evidenciando ainda o bar bem apetrechado e a limpeza dos balneários e casas-de-banho.

“É insustentável financeiramente manter piscina a funcionar”

A União de Freguesias de Ferreiros e Gondizalves pediu um subsídio extraordinário à Câmara Municipal de Braga para permitir a sustentabilidade da Piscina Municipal de Ferreiros. “É insustentável financeiramente manter a piscina a funcionar”, lamentou o presidente da união de freguesias. E João Costa foi peremptório: “ou recebemos esse subsídio ou em Setembro entregamos a piscina ao Município de Braga ou, no próximo ano, centenas de crianças das nossas freguesias deixam de ter entrada gratuita na piscina”.
Em média a Piscina Municipal de Ferreiros tem uma despesa de 27 mil euros na época balnear e “todos os anos tem havido prejuízo e este ano vai pelo mesmo caminho, porque o tempo continua a não ajudar”, alertou o presidente de junta, referindo que o ano passado só foi possível fazer 15.750 euros de bilheteira. “Temos despesas de água de sete mil euros, de luz são quatro mil euros, em detergentes gastamos dois mil euros e mais de 12 mil euros são para pagar ao pessoal”, contou o presidente.

A piscina municipal foi inaugurada em Junho de 2001 e “até hoje o Município de Braga não gastou nenhuma verba em manutenção”. A câmara, continuou o presidente, atribui uma verba de mil euros para hipoclorito, mas a piscina de Ferreiros “precisa de mais um depósito que custa o dobro”.
O autarca destacou ainda as despesas de manutenção com o espaço que é necessária fazer ao longo do ano. E João Costa foi mais longe: “já tivemos algumas despesas, nomeadamente em fugas, mas a junta de freguesia tem resolvido os problemas”, informou. Agora, face aos prejuízos, foi necessário pedir apoio à câmara municipal. “Na última reunião com a câmara municipal solicitei um subsídio extraordinário, porque estamos com dificuldades financeiras face a este equipamento e só temos duas soluções se a autarquia não atribuir a verba: a união de freguesias entrega a piscina ao município ou as centenas de crianças que frequentam a piscina vão deixar de ter entrada gratuita no próximo ano”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.