Correio do Minho

Braga,

- +
Pais-em-Rede nasce em Braga para apoiar famílias e concretizar a inclusão
Rede transatlântica de áreas protegidas marinhas reuniu em Viana do Castelo

Pais-em-Rede nasce em Braga para apoiar famílias e concretizar a inclusão

Líder sem medo de se impor abate castores muito mansos

Pais-em-Rede nasce em Braga para apoiar famílias e concretizar a inclusão

Braga

2015-03-01 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

O projecto é ambicioso, mas não é impossível, basta trabalhar em rede. O núcleo da Pais-em-Rede nasce em Braga para apoiar as famílias e para concretizar a inclusão da pessoa com deficiência.

A Associação Pais-em-Rede acaba de nascer em Braga para dar uma ‘mãozinha’ às famílias e às pessoas com deficiência. O núcleo bracarense foi ontem apresentado na Casa do Professor, onde foram já assinados quatro protocolos com outras instituições locais, designadamente a ACARE (Associação Comunitária de Apoio à Reabilitação de Braga), a Cerci Braga, a Coop.21 Especial e o Banco Local de Voluntariado - que dão o seu apoio nesta nova resposta que é dada ao nível da deficiência. O Município de Braga foi desafiado a tornar-se também mais inclusivo e o vice-presidente da câmara, Firmino Marques, garantiu que esse é um caminho que já está iniciado.

Promover a qualidade de vida e a realização de projectos pessoais e profissionais da pessoa com deficiência é um dos grandes objectivos desta associação, que conta a partir de agora com um pólo em Braga.
Luísa Beltrão, presidente da Associação Pais-em-Rede a nível nacional, explicou que o conceito que está por trás desta rede é precisamente “a comunidade”. “As respostas têm que ser criadas de acordo com as necessidades de cada núcleo e de cada comunidade”, frisou a responsável, indicando que é esta ‘rede comunitária’ - que no fundo abrange toda a sociedade - “que tem que criar as condições para que os jovens com deficiência possam ser verdadeiramente incluídos na sociedade. A verdade é que se fala muito disto, mas acaba por ser pouco concretizada”.

O projecto da Associação Pais-em-Rede tem como modelo a inclusão social e perspectiva uma nova atitude de cidadania activa. “Não podemos ficar mais à espera que nos venham bater à porta de casa com uma solução. temos que ser nós a procurar as soluções para os nossos problemas”, sublinhou Luísa Beltrão.
No fundo, esta associação tenta procurar projectos de ocupação mais baratos e com maior grau de realização dos jovens com deficiência. Mas para isso é preciso sensibilizar, acima de tudo, todas as instituições e empresas, no sentido de se incluir a pessoa com deficiência, inclusive no mercado laboral.

A capacitação dos pais de pessoas com deficiência, a formação de voluntários para trabalhar com os portadores de deficiência e a criação de gabinetes para trabalhar a integração dos jovens mais autónomos são alguns dos projectos que o núcleo de Braga da Associação Pais-em-Rede vai dinamizar.

No âmbito dos protocolos assinados, a ACARE vai ceder as instalações do núcleo de Braga para se reunir sempre que necessitar, a Coop.21 Especial vai cooperar dando apoio a projectos que envolvam crianças com necessidades especiais entre os zero e os 16 anos, a Cerci Braga vai tentar dar uma resposta mais individualizada, mediando a integração dos jovens com deficiência em serviços da comunidade e o Banco de Voluntariado de Braga, que cinta já com 2000 boas-vontades, vai formar os seus voluntários para prestar um apoio específico às famílias nesta área.

Deixa o teu comentário

Últimas Braga

15 Setembro 2019

Braga promove-se na Suíça

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.