Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Obras nos bairros sociais à espera de visto do Tribunal de Contas
Câmara de Guimarães oferece pinheiros de Natal para evitar abate de árvores jovens

Obras nos bairros sociais à espera de visto do Tribunal de Contas

Seniores animados e competitivos em Torneio de Boccia

Braga

2018-08-07 às 06h00

José Paulo Silva

Santa Tecla e Enguardas vão entrar em obras. Requalificação dos dois bairros sociais já está contratada. Falta apenas o visto do Tribunal de Contas.

As obras de reabilitação dos bairos sociais das Enguardas e de Santa Tecla estão apenas dependentes da emissão de visto do Tribunal de Contas aos respectivos contratos de execução. As empreitadas foram recentemente adjuficados pelo valor global de cerca de cinco milhões de euros, com comparticipação de fundos comunitários, através da medida Planos de Acção Integrada para as Comunidades. Desfavorecidas (PAICD).
A obra mais volumosa é de reabilitação total do Bairro Social de Santa Tecla, orçada em cerca de quatro milhões de euros e com 18 meses de prazo de execução.
Para a reabilitação dos fogos propriedade municipal no Bairro das Enguardas, também na freguesia de S. Victor, estão garantidos pouco mais de um milhão de euros.
Vítor Esperança, administrador executivo da Bragahabit, a empresa municipal de habitação, adiantou ontem ao Correio do Minho que o início das obras de reabitação de dois dos maiores bairros sociais do cidade de Braga carecem apenas do visto obrigatório do Tribunal de Contas, que vai ser solicitado nos próximos dias.

Além da renovação integral dos blocos habitacionais, a intervenção no Bairro Social de Santa Tecla prevê a reabilitação de toda a área exterior e alterações na circulação rodoviária, abrindo o bairro, edificado em 1979, à cidade.
Está projectado um novo edifício para acolher actividades culturais, formativas e desportivas da comunidade residente.
Neste bairro de 181 fogos residem 161 agregados familiares, num total de 498 pessoas.
Já nas Enguardas, a reabilitação incide nos blocos I, J, L e H, ficando de fora do contrato de execução os fogos que são de propriedade privada, vendidos no passado pelo Município aos respectivos inquilinos. Neste Bairro Social, 85 fogos são propriedade municipal e 94 estão na posse de privados.

O realojamento temporário das famílias durante a fase de obras nas Enguardas e de Santa Tecla está assegurado com recurso a apartamentos actualmente devolutos nos dois bairros.
O administrador da Bragahabit assegura assim que não haverá necessidades de transferir agregados familiares para outros locais da cidade de Braga.
Entretanto, a administração da Bragahabit conta resolver brevemente a questão do realojamento da última família que ainda se mantém no Bairro Social da Ponte dos Falcões, criando condições para a demolição de dois degradados blocos de apartamentos.

Em Setembro de 2017, o Município demoliu um primeiro bloco de apartamentos daquele bairro localizado num espaço da freguesia de Maximinos onde será implantado o Centro de Operações e Mobilidade dos Transportes Urbanos de Braga, estrutura que esta empresa municipal espera ter concluído em 2022.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.