Correio do Minho

Braga, terça-feira

Obras de 3,4 milhões para melhoramento do Estádio Municipal de Braga custeadas entre autarquia e SC Braga
Piquenique levou centenas ao Santuário de Nossa Senhora do Alívio

Obras de 3,4 milhões para melhoramento do Estádio Municipal de Braga custeadas entre autarquia e SC Braga

Destino das ‘Convertidas’ suscita reservas

Desporto

2017-10-27 às 06h00

Joana Russo Belo

No primeiro trimestre de 2018, estão previstas arrancar as obras de melhoramento do Estádio Municipal de Braga, orçadas em 3,4 milhões de euros. Projecto de Eduardo Souto Moura - arquitecto responsável pela construção do estádio e convidado pelo SC Braga para proceder às alterações em termos de acessibilidades e funcionalidades - foi, ontem, apresentado numa cerimónia no auditório do recinto desportivo, que contou com a presença de vários elementos da câmara municipal - proprietária do Estádio - como a vereadora do Desporto, Sameiro Araújo, e o vereador Carlos Almeida.

No primeiro trimestre de 2018, estão previstas arrancar as obras de melhoramento do Estádio Municipal de Braga, orçadas em 3,4 milhões de euros. Projecto de Eduardo Souto Moura - arquitecto responsável pela construção do estádio e convidado pelo SC Braga para proceder às alterações em termos de acessibilidades e funcionalidades - foi, ontem, apresentado numa cerimónia no auditório do recinto desportivo, que contou com a presença de vários elementos da câmara municipal - proprietária do Estádio - como a vereadora do Desporto, Sameiro Araújo, e o vereador Carlos Almeida.

“Vamos rectificar obras que, no meu entender, foram mal feitas. O estádio, bem ou mal, está feito, não se vai deitar abaixo, agora compete-nos melhorar as condições”, frisou o arquitecto, explicando o que falhou na altura da construção.
“Quando foi para o Euro 2004, havia pouco tempo, à portuguesa, e não se sabia o dinheiro que havia. Na altura, já se faziam centros comerciais, lojas, salas de imprensa, mas a gestão da câmara [liderada por Mesquita Machado] disse para não se fazer isso, fez-se outro tipo de estádio e, na prática, verificou-se que tem deficiências, sobretudo na circulação”, sublinhou Souto Moura, acrescentando terem sido feitas, entretanto, obras por outras pessoas, situação que desagradou ao arquitecto.

“Não fiquei nada agradado, porque fui eu que desenhei este estádio, tenho orgulho nele, a arquitectura portuguesa também e ganhei não sei quantos prémios, ou o estádio é que ganhou”, referiu.
Intervenção no Estádio está orçada em 3,4 milhões de euros, sendo que 2,850 milhões destinam-se às obras das bancadas nascente (1 milhão), poente (1,750 milhões) e em outros pontos (100 mil), valor ao qual se juntam 550 mil para a intervenção na alameda do estádio e futura Praça do Centenário. O pagamento destas obras será articulado entre o clube bracarense e a autarquia, não estando ainda estabelecida a percentagem nem os moldes da partilha dos custos.

António Salvador: “O ideal teria de ser construído de raiz”

“Vamos ficar com uma obra impressionante”. É desta forma que o presidente do SC Braga, António Salvador, comenta o projecto apresentado, ontem, de melhoramento do Estádio Municipal de Braga. Reconhecendo que o recinto não é o ideal, o dirigente acredita, no entanto, que as obras vão melhorar, significativamente, as condições dos adeptos.

“São alterações que visam o melhoramento da funcionalidade dentro do estádio para os nossos adeptos. Já fizemos, no passado, melhorias pontuais em função do que era necessário, entendemos que são precisos mais melhoramentos. O arquitecto já o disse, na altura, que, quando encomendaram este estádio, foi para dar a conhecer a cidade ao mundo e não propriamente para ver futebol. Hoje, o futebol moderno necessita de condições para os seus adeptos, parceiros e para receber clubes de fora. Este estádio não estava preparado para isso. Com estes melhoramentos, através de elevadores verticais, camarotes, reestruturação dos bares, uma grande sala de eventos para jogos da UEFA e uma sala de imprensa, haverá todas as condições”, explicou o dirigente, consciente das carências do recinto desportivo.

“Sabemos que nunca é o ideal, porque o ideal teria de ser construído de raiz. Temos um estádio único, reconhecido em todo o mundo, arquitectonicamente é um estádio impressionante, recebemos visitas de todo o mundo. Acredito que com todas estas melhorias e, juntamente com a Cidade Desportiva, que vai arrancar a segunda fase, irá ficar uma obra impressionante”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.